5 motivos para você não copiar um conteúdo na íntegra

Por que copiar algo acessível a todos quando você pode linkar?

Há quase um ano, quando um blog chamado Ato ou Efeito ainda era ativo, um dos assuntos mais polêmicos da internet — plágio — foi comentado por lá de uma forma ácida e muito completa. O texto 5 motivos para você não copiar um texto na íntegra fugia do clichê “copiar é feio – tenha criatividade!” e argumentava não só sobre os problemas que a cópia causa ao verdadeiro autor do conteúdo (e como ele pode te punir pelo plágio), mas também sobre os problemas que o próprio copiador enfrenta só pelo fato de estar duplicando indevidamente algo que já está publicado e acessível a todos na internet.

Quando o Théo (autor do top 5) ficou sabendo sobre a proposta deste blog, pediu para que eu comentasse sua lista por aqui, divulgando a causa já que o AOE não existe mais. Bom, o assunto é bastante relevante, então vamos lá!

Antes, a pergunta que não quer calar: Por que copiar algo acessível a todos quando você pode linkar?

comida

Quando você gosta de um restaurante, você leva a comida pra casa e chama seus amigos?

Esse é o argumento mais forte. Como eu havia dito:

  1. O conteúdo já está online, completamente acessível a todos. Não faz sentido duplicar.
  2. O conteúdo é particular ou é exclusivo para assinantes. Divulgar este conteúdo na íntegra é crime. Bom, plágio é crime, isso também vale para a opção 1 – porém, aqui a coisa é um pouco mais grave.

Além disso, alterar trechos do texto pode piorar ainda mais as coisas. Se o texto está protegido por uma lei que não permite sua reprodução integral e nem modificações, tecnicamente você está dobrando os problemas.

Outra coisa, quando você gosta de um restaurante, você leva a comida para a sua casa e convida os seus amigos ou recomenda o estabelecimento convidando-os para um almoço ou jantar qualquer dia desses? Quando você duplica um conteúdo, não é como se você pegasse a receita com o chef e tentasse fazer o prato na sua casa, com as suas mãos, do seu jeito. Você simplesmente pegou a comida, enfiou em uma sacola, levou-a pra casa, colocou-a no prato e chamou seus amigos para comer algo que “você” cozinhou.

Agora, se isso ainda não te convenceu, talvez um dos itens do top 5 – quem sabe todos – te ajude.

5 – Buscadores, como o Google, evitam conteúdo duplicado e dão preferência para quem foi o primeiro a publicar. Ou seja, você será penalizado.

Alguns blogueiros copiam conteúdo inocentemente, só querem que mais gente veja o material. Já outros copiam pra “gerar conteúdo” e conseguirem mais acessos por conta disso, já que se o conteúdo for bom de verdade ele será linkado em vários outros blogs. Mas e o Google, o parceiro mais poderoso que um blog pode ter, onde fica nessa história?

Se você duplica um conteúdo na internet, não espere ter um posicionamento bom em buscadores. É fato que muitos blogueiros nem sabem disso, e é algo importante de se ter em mente.

Confira também:

4 – É duplamente desvantajoso para o autor original

Em primeiro lugar, vejamos o lado financeiro. Se o conteúdo é exclusivo para assinantes, nem preciso falar que você estará atrapalhando o trabalho de alguém. Se o conteúdo não é exclusivo para assinantes mas o autor conta com anunciantes na página, você também estará atrapalhando, principalmente se você veicular anúncios na sua página – afinal, você vai lucrar o que o autor original não lucrou.

Por fim, se o conteúdo não é exclusivo para assinantes e a página não tem anunciantes, você estará sendo extremamente injusto ao divulgar esse conteúdo em uma página com anunciantes seus, não acha?! Ele teve um trabalho danado, exercitou a própria criatividade pra produzir algo bom e é você quem ganha? Não parece ser justo.

doce crianca

É quase como roubar doce de uma criança.

Em segundo lugar, a divulgação. Quando você copia um conteúdo na íntegra você não está divulgando-o, você está reproduzindo-o em sua página. Mesmo que você cite o autor do texto, muita gente vai ignorar isso, é fato. Na cabeça da maioria dos visitantes, se você reproduziu algo bom do autor no seu blog é porque você reproduz conteúdo bom de outros autores sempre que pode, então aquele link acaba passando batido. O conteúdo bom já está ali, pra que acessar o mesmo texto de novo?

Agora, se você pega o trecho inicial do texto, por exemplo, e logo após coloca um link com o texto “Clique aqui para continuar lendo”, por exemplo, a situação muda. Você está divulgando algo que você recomenda, e se o visitante confia no seu gosto e se o conteúdo é relevante pra ele, obviamente ele vai conferir o conteúdo que você divulgou e terá a chance de ver outros textos do autor. Além disso, ele não vai deixar de acessar o seu blog porque você linkou outro blog, muito pelo contrário — se você sempre está divulgando algo bacana, esse visitante vai voltar sempre pra conferir as suas recomendações e postagens.

Confira também: Lei sobre Direitos Autorais

3 – Você receberá méritos por um trabalho que não é seu

Como eu havia dito, na maioria das vezes o link citando o autor do texto que você copiou passa batido. Às vezes passa tão batido que o visitante acha que o texto é seu. Juntando isso ao fato de que você veicula publicidade no seu blog e teve esse post divulgado em outros blogs através de links, além de receber elogios por um trabalho que não é seu, você gera lucros e conquista novos visitantes com o trabalho alheio.

Quando o link passa tão batido assim só pode significar uma coisa: Ele está escondido. De que adianta citar o endereço original do texto em uma fonte minúscula no rodapé? Isso seria “linkar por educação”?

Muita gente cita o link como “fonte”, o que é extremamente errado. Uma fonte é um conteúdo que inspirou o seu texto, com as suas palavras, e não um conteúdo que você copiou.

2 – Além de errado e injusto, não é original/criativo

lapis apontado

Não deixa de ser clichê, mas pensar e produzir rende muito mais frutos.

Posso citar como exemplo esse próprio top 5. O original está aqui, eu estou usando o mesmo formato e os mesmos tópicos no meu artigo — isso é plágio. Porém, o Théo encerrou as atividades do AOE recentemente, então sugeriu que eu escrevesse a lista com as minhas palavras já que esse material seria relevante neste blog. Ou seja, o que eu estou fazendo é uma espécie de “remake” com a autorização do autor. As acusações de plágio podem ser retiradas, mas ainda assim é fato que eu não estou sendo original.

Quando você faz seu próprio conteúdo, você forma um público fiel. Quando você publica conteúdo que pode ser encontrado em outros lugares, você “pesca” visitantes.

1 – Onde é que você quer chegar com isso? Você não vai a lugar algum!

Duplicar conteúdo não faz o menor sentido, pode te rebaixar em mecanismos de busca, é injusto para os autores, você recebe méritos, conquista visitantes e gera lucro através de um trabalho que não é seu e não é original, é só mais do mesmo. Literalmente.

Ou seja, a primeira posição do top 5 é um mix das 4 opções anteriores. É uma pergunta relevante: Vale a pena passar por tudo isso só pra republicar algo que poderia ser divulgado?

Ei! E eu? Como evitar que copiem o meu conteúdo?

Comece incluindo uma nota de rodapé nos seus textos, algo discreto. Um exemplo que era usado no AOE:

» É permitida a reprodução parcial – mais uma vez, com ênfase: PARCIAL – de todos os textos publicados neste site, como citação. Saiba mais sobre direitos autorais clicando aqui.

» Tenha bom senso, não copie textos na íntegra. Saiba como a cópia integral de textos pode ser ruim para você clicando aqui.

» Se você gostou dos nossos textos, cite-os à vontade, mas não os copie na íntegra.

Você não precisa ser criativo para criar uma nota de copyright, não há muito o que ser dito. Apenas cite que a reprodução do texto não é permitida e linke a lei 9610/98. O exemplo do AOE, na minha opinião, é o melhor, já que ele também incentiva uma leitura sobre duplicação de conteúdo. Então, à partir desses exemplos, criei uma nota de rodapé que você pode utilizar à vontade em seu blog:

Não é permitida a reprodução integral do conteúdo acima. A reprodução parcial é permitida apenas na forma de citação e com link para o conteúdo na íntegra. Plágio é crime (Lei 9610/98) – Saiba como a cópia integral de textos pode ser ruim para você clicando aqui.

Sim — se você quiser, pode copiar a minha versão e utilizar no seu blog à vontade!

Você tem alguma dica ou opinião sobre o assunto? Deixe seu comentário!

Não é permitida a reprodução integral desse conteúdo. A cópia pode ser ruim para você!

Do que você está precisando?

Um site novo? Suporte para WordPress? Criação de logo? Outra coisa? Fale comigo!

Quero um orçamento

Leia também...

...alguns textos que têm a ver com o assunto:

5 logos simples e criativos

A criação de um logo simples não é fácil. Conheça alguns logos simples e muito criativos e veja que não basta apenas um design bonito.

Como é feito um logo profissional

Quer entender melhor o processo de criação de design de logos (logotipos, logomarcas... como preferir!)? Saiba como é feito um logo profissional.

Prazos são importantes para a criatividade

A criatividade leva tempo. Saiba por que prazos apertados podem não ajudar muito o crescimento do seu negócio. Tempo também é investimento!

Comentários

68 comentários até o momento

  • tenso….mas a maioria so pensa em grana mesmo hehehueue

    Responder
  • Você é tosca. Moralismo na internet é foda! Se tão copiando o que voce posta, é porque é bom! Post fail do caralho… É raro, mas muito raro alguém ser punido por causas de direito na internet, principalmente por posts em blogs (eu nunca vi). Parece um estudante de direito citando metade da constituição pq não quer pagar 10% no boteco.. Abraço

    Responder
    • Fala, JoaoMls!

      Em primeiro lugar, Fabio Lobo é um nome masculino, então na verdade eu sou tosco! ;]

      Em segundo lugar, evidentemente você não entendeu a proposta deste post. Não trata-se de moralismo, na verdade é mais uma questão de bom senso, respeito, essas coisas chatas. Se copiam algo que eu posto é porque é bom, certo? Corretíssimo. Mas é bom quando copiam algo que eu faço? É bom quando você leva um trabalhão pra produzir algo e alguém que só teve o trabalho de copiar e colar o conteúdo que você produziu leva os créditos – quiçá lucros – pelo seu trabalho? Pense nisso. Ou não, já que aparentemente você não tem blog ou não produz algum tipo de conteúdo na internet, ou seja, é compreensível que você não tenha entendido o artigo pelo simples fato de ele não ter sido escrito para você, e sim para o público que produz conteúdo e principalmente para quem copia, é claro.

      Sobre punição, sim, é raro, mas esse também não é o caso. Eu falei sobre as desvantagens de se copiar um conteúdo, minha intenção não foi “assustar” os copiadores e nem mesmo incentivar o uso da justiça por conta disso. Muito pelo contrário, minha intenção é que os copiadores conscientizem-se sobre ganhar às custas do trabalho alheio.

      Sobre os 10% no boteco, se eu não me engano há uma lei que impõe que essa porcentagem é opcional, não é mais necessário citar a metade da constituição justificando o não-pagamento da gorjeta. Enfim, se você tiver qualquer outra dúvida sobre o artigo (que não inclua dúvidas sobre direito, por favor!), estarei à disposição para esclarecer. Valeu!

      Responder
    • Concordo com você: Postou na net, já era, se não quer que pegue, tire uma foto do conteúdo a ser postado, e coloque seu nome meio transparente por cima, salva como “imagem.gif” e entao poste.

      Responder
      • Você sabia que também dá pra copiar as imagens?

        Responder
        • Sem falar que algo escrito e só descreve-lo novamente em qualquer editor de texto.
          Mas essa galera defasada de criação, “analfabetos de propiás opiniões e pensamentos, alienados” e que ficam no CTRL+C CTRL+V, pessoas medíocres. São criticas irrelevantes
          que não merecem atenção Fabio.

          Responder
          • Hahaha, eu me divirto! ;D

  • Blogueiro é tudo um bando de vagabundo desqualificado que fica “produzindo” material de “qualidade” tentando ganhar dinheiro, ao invés de arrumar um trabalho de verdade, estudar e se dedicar.
    A internet nasceu livre, e será livre. Tá dodóizinho porque não ganha nada com posts de merda, ou que outros imbecis copiam essa merda que vocês fazem? Vá arrumar um emprego de homem de honra, com certeza seus pais não se orgulham de ter um filho(a) que tentam se manter só de net.
    Gente ridícula, idiota, inútil para a sociedade – tem mesmo que morrer de fome.

    Responder
    • Fala, Mr. Gates!

      Wow, não entendi o por que da sua revolta, mas tudo bem. Sobre blogueiro ser um bando de vagabundo desqualificado, isso não seria generalizar demais? Tem certeza que você não está citando apenas os blogs amadores de humor que copiam conteúdo de blogs gringos e deixando de lado blogs profissionais como aqueles hospedados em portais como o iG, Uol e cia? O Jovem Nerd, por exemplo, seria um ótimo exemplo. Nem vou citar os blogs gringos – que estão dominando a internet – porque você pode argumentar “estamos no Brasil”, mas por aqui há muitos blogs de sucesso e há muitas agências e portais trabalhando com eles. Blogs de conteúdo.

      E o que seria um trabalho de verdade, afinal? Um que tenha registro na carteira e carga horária? Só isso define um “trabalho de verdade” ou eu deixei passar algo? Atualmente eu sou free lancer, não tenho carteira assinada, carga horária ou chefe, trabalho por conta própria. Não acho que isso não seja um trabalho de verdade, por exemplo. Como eu disse, existem blogs profissionais, e esse é um mercado que cresce cada vez mais – parte do que eu ganho é com layouts pra blogs! Pra você ser bem sucedido, assim como em qualquer outro trabalho, “blogar” requer dedicação e estudo sim. Alguns passam o dia inteiro na frente do computador, isso não quer dizer que sejam vagabundos – pelo contrário, são dedicados. Bom, eu realmente acredito que você generalizou demais e partiu para o lado completamente oposto da história, atacando os blogueiros que se aproveitam do conteúdo dos outros. Não é obrigação nenhuma conhecer tudo sobre blogs, mas quando você quer argumentar sobre o assunto um pingo de entendimento à causa é necessário. ;]

      Não estou defendendo blogueiros, repito: Só acho que você generalizou por não entender muito bem do assunto, além de ter sido completamente preconceituoso e agressivo gratuitamente, até parece que eu te ofendi com o texto. Se você tiver alguma dúvida e estiver disposto a argumentar “feito um homem de honra”, estarei à disposição!

      Responder
      • ótima resposta, Fábio! isso é o que se chama tapa de luva….

        Responder
        • Que isso! Só argumentei com conteúdo. ;]

          Responder
      • Parabéns pela resposta ao sr gates, respondeu com classe.

        Responder
  • Direitos autorais na internet? Me parece uma utopia.
    Não há assunto que já não tenha sido explorado por alguém. O máximo que se faz é dar alguns retoques pessoais. O próprio artigo acima não é inédito, foi escrito usando-se uma idéia anterior.
    Na internet, infelizmente é assim.

    Responder
    • Fala, Kid!

      Só na internet? Em todo lugar é assim. Nada é inédito, é apenas explorado de uma forma diferente. Os mesmos assuntos explorados por diferentes visões que levam à mesma opinião (ou não) nós vemos aos montes por aí, e isso não tem nada ver com esse texto. Aqui estamos falando de cópia integral, você citou algo que é comum no nosso dia-a-dia. Até as criações mais criativas tem um ponto de partida. ;]

      Responder
  • E você copiando o texto do AOE, rs.

    Responder
  • Cara,

    Concordo com grande parcela do teu post, mas acredito que vivemos defendendo a “liberdade” na internet mas as vezes nos contrariamos.

    Como sabemos, processar alguém por estar “chupinhando” seu texto não é um processo nada fácil, por isso eu adoto o Creative Commons na maioria dos meus projetos, acho que é a mehor saida.

    Já que não podemos enfrentar este mal, e muito menos evita-lo (as cópias), distribua de uma forma “legal”.

    Agora, não dar créditos, isso sim é muita sacanagem, hehehehe!

    Abraços e sucesso!

    Responder
  • Fábio, até concordo com muito que colocou aqui. Esta internet politicamente correta, ideal seria uma maravilha. Todos respeitando direitos autorais e a propriedade intelectual.
    Porem como disse, isso é o ideal, só possível de existir na ideia. Ao mesmo tempo em que seu texto é muito bem justificado, precisaria ser mais imparcial e avaliar corretamente as duas faces desta moeda. Este artigo é bastante ingênuo e otimista meu caro.
    E por conta desta falta de imparcialidade vou dar um de “advogado do diabo”. rsss
    Para um autor, site ou qualquer pessoa, seja ela física ou jurídica processar um blog por direitos autorais, ela tem de estar sendo muito lesada (ênfase em muito). Visto que os encargos processuais não são baratos e seus trâmites são demasiadamente lentos.
    Regular a internet e censurá-la é impossível, por mais que vejamos algumas medidas governamentais de alguns países tentarem efetivar leis e regulamentações para isso. Então punir sites e blogs é coisa bem incomum, ainda mais em nosso país que não possui uma legislação própria para isso.

    Sejamos realistas, utilizar notas de rodapé evocando os direitos de copyright não impede cópia alguma. Receber aviso no e-mail de que algo foi copiado também não. Todo conteúdo (seja ele qual for) pode ser copiado para uso pessoal livremente.

    Coloca também o fato de muitos leitores não vêem o autor e ou a fonte. Mas veja bem, isso já não é culpa do Blogueiro. E também não coloca aqui o fato de que tendo este redirecionamento para a página original muitos visitantes ficaram com preguiça de clicar.

    Creio que nem 0.5% de todo material na internet seja 100% original, em graus distintos é verdade, ocorre plágio a reveria. Muitos pegam um determinado texto, mudam alguns sinônimos, acrescentam uma coisa, tiram outra e publicam como sendo dele, sendo “original”. Então esta questão é muito mais complexa do que apresentou aqui. A questão do plágio e dos direitos autorais vão muito além desta esfera aqui esplanada.

    Outro fator, muitos blogueiros que vejo ao copiarem, citando fonte e autor, prestam sim um papel valoroso. Visto que estão agregando em um só lugar informações que antes estavam dispersas sobre um determinado assunto, facilitando a vida do usuário.

    Agora, um ponto crucial em toda esta linha de raciocínio que aqui traçou cairá por terra se você faz ou já fez uso de produto pirata. E como acredito que tenha feito e ainda faz, é incoerente defender os direitos autorias neste ponto sendo que no outro não faz o mesmo. A mesma regra que se aplica aqui deverá também aplicar ali. Todo o politicamente correto dito aqui não valerá de nada se incorrer neste erro.

    Agora, se você não usa quaisquer produtos piratas, sejam eles materiais ou imateriais. Está de parabéns, prima pela coerência e aqui trouxe um pouco de luz sobre esta “malemolência virtual”.

    Abraços e sucesso!

    Responder
    • Fala, André!

      Pra não ficar muito repetitivo, confira o que eu escrevi para o JoaoMls, é o terceiro comentário.

      Valeu!

      Responder
  • Olá,

    Na verdade, este tipo de discução na internet, é complicada.
    Não só na área de blogs,sites, mas em qualquer lugar ou tipo de “ramo” que você trabalha, na internet, sempre tem quem copie e sempre vai existir.
    Mas eu penso que, a copia, com os creditos devidos, não é uma coisa feia.
    Quando o blog, copia de alguem, alguma materia/post, é porque achou legal e quer divulgar para seus leitores, ou seja, é uma publicidade à mais para o dono do contéudo,não acha.
    Intão que mal à na copia, com creditos e linkagems devidas?
    Bom, na minha parte, eu digo que não à mal nem um, portanto, os blogs, devem respeitar aqueles que são contra, e ir de acordo com oque eles, querem e acham certo.

    Abraços

    (Desculpe os erros gramáticais/digitação) kkkk

    Responder
  • Ola, achei seu post, justamente porque meus textos estao sendo copiados e divulgados, gerando link e visitas no site de outras pessoas, meu nome aparece, mas pequeno e sem meu email, sem o nome do meu site, alguem leu meu texto e ficou a imagem de que o autor do site que me copiou e que fez a materia… Isso me chateia muito. Acho que ninguem deve nem pode copiar o texto completo de outra pessoa e colocar no site dele. Deve haver uma lei e uma forma de punicao ja!!!

    Responder
  • Tá tudo errado.
    Baixar arquivos – qualquer um – é absolutamente LEGAL, pela legislação brasileira.
    Crime – este sim, tipificado pela lei e sujeito inclusive à prisão – é o que está fazendo a APCM (Associação Antipirataria de Cinema e Música).
    Confira aqui no site oficial do Consultor Jurídico a legislação federal e DIVULGE:
    http://www.conjur.com.br/2007-ago-20/download_filmes_livros_uso_privado_nao_crime

    Responder
    • Fala, Roberto!

      Você poderia dizer o que está “tudo errado” e o que seu comentário tem a ver com o conteúdo publicado aqui? Confesso estar meio confuso.

      Responder
  • Coloquei o link desse post (que aliás está de parabéns) no rodapé do meu blog que ainda não estáno ar. Quando eu por no ar te aviso!! bjooo

    Responder
  • Este estive pesquisando a respeito e realmente ficou de parabêns nesta!!!
    Recomendo que não se preocupe com os comentários de quem sonha em ser “sobrinho” como diria os webdesigners, pois poucos pesquisam a respeito como eu antes de iniciar um blog.

    Gostei do artigo!!

    obs.: em breve vou citalo e te aviso, abraços.

    Responder
    • Fala dani antunes e RodrigoLS!

      Fico feliz que o artigo tenha sido útil para vocês. Obrigado pelo feedback!

      Responder
  • tipo blogger na minha opniao trabalho alheio pela internet é vagabundisse e perca de tempo na minha opiniao…

    enquanto vcs estao ae q nem nerds tou comendo mulheres ^^

    e outra falar q nunca ngm copiou nada é mentira! fui blogueiro quando éra de menor e éra um sucesso minhas copias ^^

    abrç

    Responder
  • Olha, não é querendo discordar das opniões alheias mas… quem está desmerecendo o trabalhado desse blog não traz um só argumento interessante ou compensatório. Eu acredito no bom senso e não vejo a cópia como uma coisa positiva não só pelas razões citadas mas também outras. acredito que você pode sim fazer o download de um livro, mas ganhar dinheiro com o trabalho alheio é sacanagem. Por que razão as bandas de forró (não me cabe aqui citar a qualidade do repertório musical dessas “coisas”, mas enfim…) deixaram de investir no cd e sim nos shows? Porque elas entendem que a pirataria em sim não é problema, o problemas são os direitos autorais a serem pagos, ai pra que fique de comum acordo, todas cantam as mesmas músicas. Eu faço downloads eventualmente e vou ao cinema. A minha parte pra aliviar na pirataria é com essas atuitudes. Já com relação a textos; citação e cópia são coisas diferentes. Use uma “expressão alheia”, mas indique a fonte,é o que eu acho!

    Responder
  • Parabéns, você foi bastante didático e convincente. Já fui alvo de plágio dos meus textos no teoriadosjogos.net. Não é nada agradável mesmo. Um abraço, Fernando Barrichelo.

    Responder
  • Fabio eu achei muito bacana seu post , e acima de tudo muito pertinente, isso que você escreveu acontece mesmo, eu tenho um “portalzinho” tenho contrato uma jornalista e um web ou seja tenho despesa de fato, crio todo o conteúdo de nosso site, ai aparece um site replicador de notícia no mesmo segmento que o meu , e vai la no meu site copia todo o conteúdo de algumas matérias e depois posta, no site SEM AUTORIZAÇÃO eu acho isso de uma MEDIOCRIDADE ABSURDA, e de uma incopetência sem tamanho. Já enviei um email educadamente pedindo que parem de fazer isso, mas até agora não adiantou.

    Responder
    • Fala, Angelo!

      Isso é muito sério. Sério à ponto de você poder envolver a justiça, inclusive, enviando uma notificação extra-judicial por e-mail, por exemplo.

      Responder
  • Cara, você está de parabéns! Não da trela para esses zé ruelas aí não, pois aposto que são tudo metido a “blogueiro e web design” quando na verdade não são porcaria nenhuma. Mas é aquele negócio né, cutucar a ferida dos “bichinho” eles vão chorar. rs’ .. Em breve estarei com o blog do meu portifólio ON, espero poder trocar experiências profissionais com você.

    Forte abraço.

    Responder
    • Fala, Guavas!

      Hahaha, bom, quando o assunto é sério, discussão nunca é demais! ;]

      Responder
  • Concordo que não há a mínima necessidade de copiar conteúdos na internet, pois ele já está na rede, livre para qualquer um acessar. É trabalho jogado fora. Mas entrar nas questões de direitos autorais na internet é complicado. Gostei muito do post. Percebi que gerou bastante discussão, isso é bom. Abraços e boa sorte.

    Responder
  • Olá,

    Até o propio google, em termos de SEO, já disse que quem tem o conteúdo original, sempre será o privilegiado na parte de SEO.

    Responder
  • Meus artigos e de varias pessoas estão sendo copiados do site seupost.net devemos nos unir e acabar com esse site plagiador, obrigado pelo artigo!

    Responder
  • olá eu tenho uma grande dúvida sobre o tumblr??? Eu não entendo muito sobre esses blogs….e o que eu fiz estou um pouco sendo culpado……se vc me confirmar eu vou excluir a minha conta e faze-la outra!!!! até porque á maioria das fotos que eu estou postando do meu blog é copiado de outros blogs….e as vezes eu uso os mesmos temas… se eu estiver violando a lei???por favor me ajude pois eu não entendo nada sobre isso!!!

    Responder
    • Evandro, no tumblr há um campo específico pra você linkar a fonte – ou seja, se você compartilhar a foto ou vídeo de algum lugar, linke o autor. A não ser que ele não permita que seus trabalhos sejam veiculados, você não está fazendo nada demais – até porque normalmente vídeos e imagens são feitos para serem divulgados, salvo material institucional, por exemplo.

      Responder
  • Bom dia Fabio.
    Então significa que seu eu postar um vídeo em meu blog, redirecionando ele para o linke origem; Não tem problema?
    Como saber se determinado vídeo é protegido (direitos autorais) no youtube por exemplo?
    Parabéns pelas informações.
    Sucesso.

    Responder
    • Magno, normalmente o vídeo que não pode ser divulgado não conta com o código para ser incorporado fora do YouTube ou com avisos no vídeo/descrição do vídeo.

      Responder
      • Boa tarde Fabio !
        Entendi .. agradeço pela explicação.

        Responder
  • Fabio, bem interesante o post, mais sobre blogs de humor, é muito dificil saber o que é plagio e o que não é, por exemplo são as imagens a maior parte dos blogs usam imagem de terceiros sejam famosos ou anonimos, em alguma situação engraçada, ai um blogueiro e cola no blog dele, isso pode ser considerado plagio? A foto não pertence a nem um dos dois ninguem tem direito sobre ela. O blogueiro que copiou pode ser punido?

    Responder
    • Na verdade isso vai ainda mais longe, Zeu: o próprio famoso ou anônimo pode reclamar direitos sobre a foto, além do fotógrafo, por exemplo. Isso é raro, mas acontece.

      Sobre sua dúvida: se alguém fez um e outrém a copiou e divulgou sem dar os créditos, é lógico que é plágio.

      Responder
  • achei legal o post muito interessante, mas me responda uma coisa, algum de vcs encontraram ou conhecem algum artigo sobre o a “copia do design de um site” ?

    parabéns pelo blog,

    independente do que disseram anteriormente se comentaram mal ou bem, tiveram o trabalho de pesquisar sobre o assunto ou até mesmo se deram ao trabalho de entrar diretamente neste post e ler linha por linha, isso significa que teu conteúdo é de qualidade, senão não haveria tantas ideias variadas sobre o assunto.

    abço.

    Responder
  • Ótimo Post, esses caras que entram em discussões sobre um determinado assunto e ficam dizendo que fulano faz isso é vagabundo, enquanto vcs ficam com a cara no PC eu como mulheres são tudo um bando de otário, não sabem o que querem fazer da vida, são uns frustrados e ficam de palhaçada bagunçando o que os outros fazem.
    Eu estou querendo me enveredar nesta área de Blogs e até possivelmente um Site mesmo, mas ainda estou indeciso sobre o assunto ao qual pretendo abordar e esse seu Post foi muito esclarecedor, concordo que a cópia de certa forma é injusta mesmo, como parar isso é que é complicado.
    Agora eu pergunto Fábio: Suponhamos que eu esteja com um Blog ou site sobre Esportes, eu preciso buscar informações e noticias para o meu espaço, como fazer isso corretamente??? Seria certo ver uma noticia x em vários locais e dar o meu ponto de vista sobro o assunto, ou isso soaria como um Plágio também???

    Abraço e Sucesso!!!

    Responder
    • Plágio é quando você copia algo e diz que foi você quem fez. Se você criou seu texto a partir de um ou de vários, o que é o recomendável, basta citar a(s) fonte(s)!

      Responder
  • Eu hein to fora de plágios nos meu site quando quero escrever algo novo eu simplismente busco em sites do ramo
    leio conteúdos deles e me inspiro para falar sobre o mesmo assunto com as minhas própias palavras pois é fato
    seu um site x fala sobre wordpress e um site z falo sobre o wordpress uma hora eles vão ter qu efalar sobre o mesmo
    assunto porém cada um fala de seu jeito.

    Responder
  • Fabio, parabéns pelo artigo!
    E, principalmente, parabéns pela paciência e sobriedade com que tratou alguns comentários.
    Tenho certeza que alguns caíram de paraquedas aqui. São pessoas que se escondem atras de de um “nickname” e se julgam revolucionários da web. Verdadeiros “rebeldes sem causa”. Não constroem, só destroem.
    Mas, voltando ao artigo, acredito que copiou = plagiou.
    Em alguns casos pode até ser aceitável, quando não se trata de um trabalho profissional ou coisa parecida.
    Caso contrário, duvido que um empresa séria gostaria de saber que seu texto foi “chupado” da internet ou de qualquer outro lugar.
    Quem é profissional, sabe disso e tenho certeza que evita essa situação.

    Abraço

    Obs: quer dizer que quem não tem CLT mas trabalha o dia inteiro na frente do computador, até de madrugada, sustenta a família com a grana que recebe é um vagabundo? Meus pais não estão orgulhos então? Depois de 15 anos, uma casa, dois carros, vários computadores e periféricos, acho que vou entrar em crise. Então preciso arrumar uma carteira assinada, ter horário para entrar e sair, ouvir desaforo de chefe estressado, tomar café o dia inteiro, pegar trânisto par chegar e sair do trabalho…

    Responder
    • E o pior, Paulo: Precisa ter a “segurança” de receber o mesmo salário baixo, cheio de descontos, todo mês!

      Responder
  • Só quero saber quem nunca baixou uma música?absolutamente todos, isso não é plágio?
    por exemplo comprei um e-book com receitas para emagrecer esse arquivo enviei para todos
    os meus familiares,sou autor de e-book e com certeza estão fazendo a mesma coisa,é muito difícil
    enfrentar a pirataria na internet.

    Responder
    • Elias, você está querendo dizer que pirataria e plágio são a mesma coisa? Quem baixa música na internet está plagiando? Se é assim, se eu ligo para um restaurante entregar comida em minha casa eu estou plagiando também (não faz o menor sentido, mas eu também realmente não entendi seu comentário).

      Responder
  • Fabio, se eu precisar fazer um trabalho escolar, eu posso pegar de qualquer site e citar a fonte? ou não? Até pra um simples trabalho escolar é proibido?

    Responder
    • Recomendo que você leia as normas da ABNT sobre citações, mas é importante ver com seu professor antes.

      Responder
  • tem pessoas que copiam muitas coisas que nós postamos para os próprios sites, sem deixar nenhuma parabenização aos donos verdadeiros, e depois ficam com raiva de pessoas como Fábio Lobo fazerem post sobre como proteger nossos sites.

    Responder
  • Excelente artigo !!! Me esclareceu muitas coisas…Parabéns ao autor…

    Responder
    • Valeu! :D

      Responder
  • Olá Fábio, também é proibido copiar uma notícia de um jornal impresso e colocar no site?

    Responder
    • O post se aplica a todas as mídias!

      Responder
  • As dicas são muito boas e esclarecedoras. É importante divulgar a fonte. Não vejo problemas em copiar na integra desde que seja dada ênfase a quem criou o material. Apenas é uma forma de disseminação do conteúdo. Por outro lado, existem pessoas que realmente copiam sem citar explicitamente. Certa vez, copiei a imagem de um fotógrafo e o citei de forma mais clara possível. O detalhe é que a imagem tratava-se de um assunto que já havia passado, e como havia… Ele me enviou um e-mail, inclusive de forma bastante “agressiva” pedindo que pagasse pela imagem. Resolvi o problema dele: tirei a foto da publicação. Quando pegam meus conteúdos, mesmo que na integra, não faço questão; desde que seja citada a fonte. Abraços!

    Responder
  • Ótimo post. Esclarecedor sobre questões de plágio e conteúdo duplicado.

    Para quem trabalha com a produção de conteúdo, ficar ligado nesse assunto é bom nas duas vias, quanto para proteger o conteúdo produzido, quanto para respeitar o conteúdo alheio.

    Parabéns!

    Responder
  • Interesante!

    Responder
  • Olá, se se for copiado parte do conteúdo, apenas um parágrafo e colocar de onde o link com o nome ” continue lendo” para o site que está com o conteúdo original é permitido mesmo sem a permissão do autor?

    Responder
    • Antonio, a meu ver essa é uma boa prática, mas vai de cada autor.

      Responder
  • Olá Fábio! Sou professora dos anos iniciais.
    Encontrei um poema da sua autoria sobre cidadania e trânsito poderia ajudar os professores com os quais trabalho, mas como não tinha nenhum tipo de autorização de uso,mesmo citando a fonte, achei melhor não divulgar. Como escritor você escreve com que objetivo? Pois, a grande massa não acessa conteúdos “diria “educativos.Por que não partilhar seu conteúdo?

    Responder
    • Leila, eu escrevo sobre meu trabalho — quem acessa meu site pode ver o que eu faço e, se precisar, me contratar.

      Se copiarem o conteúdo do meu blog por aí, perco a divulgação do meu trabalho.

      Responder
  • Olá!!
    Parabéns pelo texto bastante esclarecedor .
    Estou criando uma especie de isca digital, onde de modo superficial abordo esse assunto….Gostaria de saber se posso linka esse post para uma leitura mais aprofundada do interessado.

    Responder
    • Sim, pode linkar à vontade! A ideia do texto é justamente reforçar isso: linkar sim, copiar não :D

      Responder
  • FABIO LOBO GOSTEI MUITO DO POST…
    Porém, depois de verificar todos comentários tenho que expressar o meu.
    Sabe, sou uma pessoa que faz de tudo para obedecer a lei dos homens e tal, porém, aprendi uma coisa com o cientista Augusto Cury que o que sai da nossa boa não é mais nosso.
    Me veio essa ideia no último comentário.
    É claro que bom dar o crédito, mas quem tem um equilibrio emocional não precisa ficar processando as pessoas por direitos autorais, poderia ficar feliz de ver suas ideias sendo copiadas (PLAGIADAS).
    Poderia citar vários fatos que são um problema a sociedade porque o ser humano é desequilibrado, como o filho do Renato Russo que, praticamente, acabou com a banda só para reivindicar os direitos.

    Mas, voltando… Nem todo mundo tem criatividade, seja para escrever, fazer um design, uma foto, um bom artigo, uma bela música, um ótimo solo etc e etc. Podemos ser mais unidos e menos egoístas, ser mais tolerantes.

    Em vez de querer denunciar todo mundo por conta de direitos, poderíamos dialogar como verdadeiros HOMO SAPIENS, não acha?!

    Isso aqui já dá uma mini-matéria… rsrsrs… Não copiem senão vou processar… kkkk

    Abrç, Mano!!!

    Responder
    • Diego, se a pessoa não é boa em uma coisa, ela continua procurando até encontrar algo que saiba fazer em vez de usar isso como muleta pra se aproveitar dos outros.

      Você está “passando um pano” pra quem é incapaz de fazer algo novo e vive às custas do trabalho dos outros.

      Levar horas pra fazer um trabalho e em seguida vê-lo sendo copiado – ou melhor, ROUBADO – por outra pessoa e não gostar disso não é egoísmo. Eu nem vou explicar o por que, já acho absurdo o bastante eu ter que dizer o que escrevi até aqui.

      A maioria dos meus clientes vivem de blogs e já tiveram vários problemas com copiadores. Esses dias eu mesmo tive um blog penalizado no AdSense porque, segundo o Google, eu estava copiando conteúdo de outros blogs. Fui ver e era o contrário: copiaram de mim e eu perdi o direito comercial do meu próprio trabalho.

      Me desculpe, Diego, mas você não faz a menor ideia do que está falando.

      Responder

Deixe seu comentário

Se você deseja um orçamento, entre em contato clicando aqui.

Quero um orçamento