Publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul: vale a pena?

Pensando em fazer faculdade de Publicidade e Propaganda? Saiba por que eu não recomendo o curso de Publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul.

  • Facebook
  • Twitter
  • Whatsapp

Recentemente me formei em publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul. Quando comecei a ter aulas por lá, tinha certeza de que faria um post positivo sobre a universidade por aqui.

Mas não. A coisa ficou bem feia com o passar do tempo.

Vamos manter contato?

Assine a newsletter do blog preenchendo o formulário!
Se precisar de algo, solicite um orçamento. É sem compromisso!
Se não quiser nada disso, sem problemas! Continue lendo o post abaixo :D

Antes de mais nada: O que te motiva a querer fazer publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul? É o preço? A proximidade? De fato, são dois pontos excelentes… mas será que são o bastante? Veja minha experiência abaixo e tire suas conclusões!

A Universidade Cruzeiro do Sul é ruim?

publicidade na universidade cruzeiro do sul

Bom, eu só posso falar sobre o curso de Publicidade e Propaganda…

Se sua área de interesse for Publicidade e Propaganda, minha resposta é: sim.

A Cruzeiro do Sul tem uns diferenciais bacanas, porém. Nela você pode montar sua própria grade de matérias, sendo que algumas são obrigatórias, outras optativas e dentro dessas duas opções há matérias online também (ensino à distância).

Uma coisa bem interessante é que cada semestre tem, basicamente, um mini-TCC, com apresentações e tudo mais – no fim, o melhor grupo é premiado. Por isso e por outros detalhes, porém, havia uma certa “rivalidade” entre os grupos.

No fim, apesar de todos os problemas, meu grupo levou os principais prêmios (um troféu de acrílico em forma de galo) e eu me formei com boas notas, mas a desmotivação era gigante.

Publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul: minha experiência

Como tudo começou? Bom, eu não precisei fazer o vestibular para ingressar na universidade, já que fiz um ano de publicidade na São Judas – apenas levei meu histórico e alguns documentos, e depois de algumas semanas fui matriculado. Com isso, eliminei cerca de treze matérias da grade, já que fui aprovado em tudo o que cursei na São Judas.

Detalhe importante: o atendimento foi demorado e o prazo foi longo, então fiquei um semestre sem estudar. Minha ideia era terminar a São Judas em dezembro e já começar na Cruzeiro em Janeiro, mas demoraram tanto que tive que adiar para não perder muitas aulas.

Quando comecei a frequentar a universidade, a impressão foi das melhores (minha experiência na outra universidade havia sido traumática, mas ainda assim a Cruzeiro mostrou-se muito superior em vários aspectos). O problema é que do terceiro semestre pra frente foi ladeira abaixo.

Ah, e depois de me formar fui convidado para participar de duas bancas – uma de um trabalho do quinto semestre e outra era pré-banca de um TCC, mas não pude ir na última. Foi uma experiência legal, mas ainda acho meio prepotente que um ex-aluno possa avaliar um grupo de alunos assim (dei boas notas, pelo menos – mas os grupos eram bons mesmo).

Pra falar mais sobre minha experiência com o curso de publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul, vamos por partes:

Diretoria e coordenação

Eu quase fui obrigado a fazer a mesma matéria duas vezes (eu já havia feito essa matéria na São Judas e, mesmo após análise, constava que eu não havia feito tal matéria). Só fui me tocar disso no segundo semestre, então levei a documentação pro coordenador da época. O curioso: a matéria estava lá em meu histórico, mas como disciplina optativa, não “oficial”. Não fazia o menor sentido, mesmo.

Depois de algumas semanas corrigiram a situação. Bom, não totalmente: mantiveram a matéria como optativa e incluiram a mesma matéria como “oficial” no meu histórico, como se eu tivesse cursado duas vezes. Não quis questionar pra não levar mais semanas de enrolação, então ficou por isso mesmo.

Achei que seria só esse meu problema com diretoria e coordenação… mas aí veio uma mudança na equipe e a sensação era de que estava começando uma panela entre a coordenação e alguns professores – isso passou a ficar mais claro quando o melhor professor passou a não fazer mais parte da universidade. Falo mais sobre isso no item abaixo, sobre professores.

Por fim, rolou uma pressão com os alunos por parte da coordenação para a prova do ENADE. As palestras sobre o assunto eram metade informação e metade manipulação, deixando bem claro que eles queriam que os alunos avaliassem bem a universidade no geral independente da nossa opinião (com frases descaradas como “vocês não devem dar nota 3 pra X!”). Todos os alunos começaram a ficar de saco cheio com isso e o resultado final não agradou muito a coordenação.

Que fique de lição, coordenadores, porque a nota final reflete o que vocês fizeram – e não só nesse período chato do ENADE, mas o estrago feito no curso de publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul em si. Principalmente ao demitir professores…

Professores

Acredito que se eu fosse fazer um top 5 com os melhores professores que já tive na vida, pelo menos dois da Cruzeiro do Sul estariam nele.

Alexandre Giorgio, Ricardo Brandão e Leandro Bernardes (além da Lidiane Britto, que foi minha professora em uma matéria optativa) eram, de longe, os melhores professores do curso. Eram – a coordenação tirou os três do curso (não sei se a Lidiane foi removida também). O primeiro foi retirado quando eu ainda estava na universidade, e os dois últimos saíram um semestre depois de eu ter me formado. A saída deles, inclusive, foi motivo para manifestação dos alunos – a universidade não fez nada, só deu uma resposta padrão e oficializou o “fim” do que era um ótimo curso, com professores excelentes. Simplesmente não havia motivo para retirarem os principais professores assim, e por isso comentei sobre minha sensação de “panela” na coordenação.

Por outro lado, alguns professores eram ruins, e outros só regulares. Nem preciso dizer que boa parte desses professores permaneceram na equipe depois do desmanche, né? Fora as improvisações: Já tive aula com uma professora de marketing que estava sendo “improvisada” em uma matéria chamada “Brasil contemporâneo”, que falava basicamente sobre política e cultura. O professor de arte de design era especialista em… mídia. Sim, acho que todo professor tem que ter familiaridade com todas as áreas de publicidade e propaganda, mas cada especialista deveria focar em sua especialidade, não?!

Quanto às matérias de EAD, a decepção foi grande. As aulas eram básicas demais, os exercícios eram manjados (alguns professores só copiavam coisas da apostila, ou seja: com um ctrl+F no PDF você tinha as respostas para todas as perguntas dos exercícios) e o preço era injustificável – daria pra pagar um professor particular e ainda passar um tempo jogando conversa fora com ele.

Enfim, tive aulas muito boas com os professores que citei acima, aprendi demais com eles. Eram eles quem faziam a diferença no curso: sabem ensinar, têm experiência nas áreas, orientam como ninguém… sem eles por lá, fico triste pelos novos alunos.

Alunos

cruzeiro do sul

Esses alunos aí, tirando a moça do meio, não atrapalhavam as aulas. Nerds!

Isso, no geral, tá cada vez pior. O pessoal não para de falar – dá até vergonha de ver os professores pedindo pra adultos ficarem em silêncio.

Mas isso não se limita a Cruzeiro do Sul, né? A falta de respeito e imaturidade é encontrada em todos os alunos em todas as universidades, então não se preocupe com isso.

Aulas optativas

Uma coisa interessante sobre a Cruzeiro do Sul: conforme disse lá em cima, você pode montar sua grade de aulas. Há matérias oficiais do curso, mas também há um espaço para aulas optativas (que não são tão optativas assim, já que você é obrigado a cumprir uma carga horária através delas).

Para exemplificar, fiz as seguintes matérias optativas: Empreendedorismo em Design (uma das melhores matérias que tive), Economia (abaixo das expectativas), Psicologia das Cores e Percepção (uma decepção – apelidei de “aula de colorir”), Gestão Estratégica de Negócios e Sistemas Gerenciais de Apoio à Decisão (ambas online, ambas bem ruins). Mas eu poderia ter optado por uma matéria de Gastronomia ou de Ciências Políticas, por exemplo.

O real problema aqui era a escassez de matérias optativas pras áreas de publicidade e marketing. As matérias que eu realmente tinha interesse em fazer eram de empreendedorismo e de psicologia das cores – o resto eu optei por falta de opção (?). No último semestre eu quase fiz uma matéria de Educação Física porque não haviam opções boas.

Estrutura

Não tenho nenhuma reclamação em relação à estrutura do curso de publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul. Estúdio de gravação de áudio e de fotografia, equipamentos, ar condicionado nas salas, limpeza, banheiros, elevadores… tudo ok!

Anália Franco x São Miguel

Disputas entre campi é normal e até saudável, mas na UNICSUL isso passou dos limites algumas vezes. E isso, infelizmente, graças a alguns professores que provocavam esse espírito de disputa.

Explicando: todo semestre havia um trabalho interdisciplinar a ser entregue no fim do semestre (praticamente um mini-tcc). Boa parte desses projetos era finalizado com uma apresentação, e então era feito um “ranking” entre Anália Franco e São Miguel. Legal, né? Dá uma experiência bacana, gera interação e motiva mais os grupos a darem o melhor de si.

Mas aí um campus começava a vaiar (ou apenas “zoar”) a apresentação outro, ficava paranoico achando que alguns professores dão mais apoio a outro campus… fora as frases “só quero fazer X pra gente ser melhor que o grupo Y do outro campos” e coisas do tipo. Foi criada uma rivalidade infantil e sem fundamento – o que era pra ser um momento de integração e troca de ideias virou guerra.

Colação de grau

Meu deus do céu.

Dica: optem pela colação especial (em outra data), e não pela oficial, a não ser que vocês tenham MUITA paciência e façam questão de books e de todas as outras inutilidades (sério, pra que ficar horas com uma roupa estranha e quente, no meio de uma multidão e no fim pegar um canudo vazio e sem utilidade?).

Ah, e tem a parte de enfiarem religião goela abaixo dos alunos. Se quiserem arriscar, leiam meu textão no Facebook sobre minha colação de grau.

Publicidade e Propaganda: Onde fazer?

Bom, publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul não é mais uma boa escolha, como vocês podem ver.

Há alguns anos falei aqui sobre a Universidade São Judas Tadeu, que em um mês já foi bem pior que três anos e meio na Cruzeiro do Sul. Vejo o pessoal falar bem da Anhembi Morumbi, mas nunca nem entrei em um campus deles. Então, não tenho como opinar. Há a Escola Panamericana de Arte e Design, mas mudou muita coisa desde que me formei lá.

E você, já estudou ou está estudando lá? Como foi sua experiência no curso de publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul? Deixe seu comentário!

Ah, e fujam de colações de grau!

  • Facebook
  • Twitter
  • Whatsapp

Do que você está precisando?

Um site novo? Suporte para WordPress? Criação de logo? Outra coisa? Fale comigo!

Leia também

Confira artigos relacionados ao post Publicidade na Universidade Cruzeiro do Sul: vale a pena?.

Comente!

Espaço reservado apenas para comentários sobre o post. Então, se você deseja um orçamento, por favor, entre em contato para que possamos conversar.

Quem é Fabio Lobo?

fabio lobo

Sou eu! Quer saber ainda mais sobre mim?

Bom, a maioria dos trabalhos que faço — na área de web design e desenvolvimento front-end — é com WordPress, com foco em usabilidade, facilidade e performance (tudo isso com design responsivo, é claro!). Também sou fundador de outros projetos, como a WOWF e a FicaOn.

Quer saber mais sobre esse tal de Fabio Lobo? Veja meu currículo ou siga-me nas redes sociais acima. Ah! Você também pode acessar meu blog, que é focado em web design e desenvolvimento.