Site do zero: da criação ao lançamento

Veja o processo de criação de um site do zero: do rascunho ao layout, do desenvolvimento à hospedagem. E o que fazer depois que o site for para o ar? Tire suas dúvidas!

Por Fabio Lobo, atualizado em 03/08/2020. 28 pessoas falando sobre isso!

O termo “site do zero” é utilizado quando é preciso criar um site desde o começo. Mesmo quando já existe um site no ar – nesse caso, é tudo descartado para um recomeço.

E o que está incluso na criação de um site completo, do início ao fim? Em tese, tudo. Mas esse “tudo” depende muito de o que é preciso para seu negócio.

Aqui vou mostrar, em dez passos, como um site do zero é feito e também como mantê-lo sempre funcional e atualizado.

Você lerá:

  • Qual é o processo de criação de um site do zero;
  • Como lançar o site com domínio, e-mail e hospedagem;
  • O que fazer depois de lançar o site;
  • Quanto custa um site feito do zero;
  • E respostas para dúvidas comuns.

Vamos lá!

duas pessoas olhando para um computador e um tablet; há o rascunho de um site do zero nas mãos de uma das pessoas

Passo-a-passo: criação de site do zero

“Quanto custa um site?”

Essa é o tipo de pergunta que eu mais ouço (ou leio, no caso).

Uma coisa é certa: nenhum site é igual ao outro. Com isso, não há uma média de preço para criação de sites. Tudo deve ser orçado de acordo com as necessidades do cliente.

Fora que todo profissional tem seu preço, seu próprio processo de trabalho e seus diferenciais. Nesse texto você pode ter uma ideia de como é meu trabalho com WordPress, por exemplo.

Na hora de aprovar um orçamento, muita gente acaba optando pelo preço, e não pela qualidade – como se qualquer profissional ou agência fosse entregar exatamente o mesmo tipo de trabalho.

Mas aí que tá: como saber qual trabalho será feito?

Essa é fácil: deve estar tudo detalhado em uma proposta. Se não estiver tudo claro, certamente você pode acabar tendo dores de cabeça lá na frente.

Pensando nisso, vou explicar passo-a-passo como é o meu processo de trabalho. Assim, caso você não faça ideia de como é feito um site do zero, vai ter uma ideia melhor para quando for pedir um orçamento de criação de site.

1. Briefing e orçamento

Tempo médio: de 2 horas a 5 dias

Antes de iniciar um trabalho é necessário saber o que deve ser feito.

Preciso saber o que exatamente o cliente quer, detalhadamente. Não só para calcular o preço, mas principalmente para “roteirizar” o desenvolvimento do projeto.

Então, um bate-papo sobre o projeto deve ser feito até que o briefing seja compreendido. Ou seja, até ter certeza de tudo o que o cliente quer, além de orientá-lo sobre as melhores soluções.

Por que – e pra que – você precisa de um site?

Você precisa ter essa resposta de uma maneira muito clara na sua cabeça, caso contrário poderá jogar dinheiro fora.

Mas não tenha medo: é normal ter dúvidas ou sequer saber por onde começar.

Quantas vezes eu já recebi um pedido de orçamento com ideias que tinham tudo pra dar errado? É normal, e não tem nada de vergonhoso nisso. Também é meu papel falar “veja bem…”, apresentar o melhor caminho e tirar dúvidas.

Não é só passar um preço e fazer o que me pedem.

De que adianta você receber algo exatamente como você quer, pagando pouco, e não ter o retorno esperado? É aí que eu entro.

Ter uma consultoria antes mesmo de iniciar um projeto do zero é muito importante. Pode ser que, no final das contas, o que você quer é totalmente diferente de o que você precisa.

Pesquisa de referências e concorrentes

O que os concorrentes ou parceiros com produto, conteúdo ou serviço semelhante ao seu costumam fazer?

Como é o site, blog ou loja virtual de cada um? O que todos tem em comum e o que cada um tem de diferente?

O que pode ser, de fato, um diferencial na área?

Quanto mais perguntas relevantes sobre o segmento, melhor.

Parece simples, mas uma pesquisa pode demorar horas. E por que ela é feita? Porque é necessário entender o mercado.

A pesquisa não é para copiar ideias e layouts de concorrentes (aliás, copiar layout é crime). É para ter em mente o que é necessário para fazer com que seu site seja tão bom quanto o de seus concorrentes, que ele tenha tudo que seus visitantes e/ou clientes estão procurando.

Proposta e orçamento de criação de site

Quando não restar nenhuma dúvida, é hora de colocar tudo no papel.

Costumo passar um bom tempo revisando tudo o que foi conversado, e eventualmente preciso testar alguma coisa ou outra. Tudo pra ter certeza de que será um orçamento justo e na medida certa.

A proposta sempre é bem detalhada, reunindo informações como:

  • Dados de ambas as partes (empresas contratada e contratante);
  • Solicitações da contratante;
  • Estrutura do site;
  • Detalhes sobre o logo;
  • Detalhes sobre o layout;
  • Detalhes sobre o desenvolvimento;
  • Detalhes sobre opções adicionais (como hospedagem, e-mail marketing, auditoria e acompanhamento do Google Search Console, SEMrush etc);
  • Orçamento (preço, parcelamento e forma de pagamento);
  • Prazo de entrega (normalmente separado por módulo do projeto);
  • Condições gerais.

E isso foi um resumo.

E como não poderia deixar de ser, só quando o cliente aprova a proposta o trabalho é iniciado.

2. Criação de logo e identidade visual

Tempo médio: de 1 a 3 semanas

apresentação de logo de fabio lobo

Como estamos falando de um site criado do zero, nada mais justo que incluir a criação de logo e identidade visual nesse passo-a-passo.

E o processo de criação de logo é relativamente longo também:

  1. Briefing sobre o logo;
  2. Pesquisa de mercado;
  3. Elaboração de conceito;
  4. Rascunhos;
  5. Testes de layout;
  6. Finalização do logo.

Resumidamente: Mais pesquisa, muitos rascunhos, muitas horas… até concluir um trabalho que irá dar a cara do seu negócio.

Não é só escolher a Helvetica e um ícone no Google. O briefing e a pesquisa são essenciais aqui. Muitas vezes o logo é o trabalho mais demorado do projeto.

Conceito da marca

Normalmente uma das etapas mais complicadas do trabalho, a criação de um conceito para empresa pode levar dias. Mesmo que o cliente já tenha uma ideia em mente.

O conceito da marca é o que dará uma personalidade à empresa. É o principal fator que a diferenciará de seus concorrentes, já que estará estampado em seu logo.

A primeira impressão é a que fica, não é mesmo?!

Psicologia das cores

Durante a criação do logo e da identidade visual, um estudo de psicologia das cores também entra em pauta.

Escolher cores que combinam ou que têm tons bonitinhos não é, nem de longe, o suficiente.

Cada cor representa um significado ou sensação. É preciso unir isso ao conceito da marca, e assim a identidade visual da empresa será – no mínimo – coerente.

3. Criação do layout

Tempo médio: de 1 a 3 semanas

Com logo – e principalmente – identidade visual definidas e aprovadas, vem a etapa da criação do layout do site.

E, claro, sempre pensando em como aquilo tudo vai funcionar no navegador e como o visitante poderá encontrar tudo com facilidade. Sem contar as técnicas e conceitos do mobile first.

Se o briefing não foi claro lá no começo, nem preciso dizer que tudo pode atrasar e ficar mais complicado, né?!

E se algo for deixado para ser discutido apenas quando o desenvolvimento estiver em andamento, então, isso pode acabar gerando custos adicionais. Afinal, são mais horas de trabalho que não foram calculadas na hora certa – antes do início do trabalho.

Rascunho

Depois de uma vasta análise de outros sites do segmento, um rascunho do layout é feito. Tudo no papel mesmo.

Nessa etapa são definidas as páginas e a estrutura de tudo. Dependendo do porte do projeto, um mapa mental também é feito, além das simulações de ações de determinados elementos.

Wireframe

A fase pós-rascunho e pré-layout.

Aqui todo o rascunho é refeito de maneira digital e mais organizada. Cores, estilos, imagens e tipografia ainda não são trabalhadas nessa parte: normalmente um wireframe resume-se a telas em preto e branco, linhas e blocos.

Isso porque um wireframe é totalmente estrutural. É como se fosse o esqueleto do layout.

à esquerda, um wireframe; à direita o layout final
Exemplo de wireframe à esquerda; à direita, o layout final. Projeto: O Vício.

Alguns wireframes são interativos, ou seja: é possível navegar através de cliques, como se fosse um protótipo do site. Isso é muito útil para sites grandes e aplicativos.

Finalização do layout

Tendo tudo aprovado e testado, os estilos são aplicados ao wireframe. Assim é feita a parte estética do site.

Um ajuste ou outro sempre é feito durante a finalização. Mas nada muito grande, a não ser que tenha algo de errado com o briefing.

Se é algo que vá muito além do combinado no começo, um novo orçamento é feito. Afinal, repito: são mais horas gastas e mais trabalho a se fazer, já que isso não foi calculado na hora do orçamento.

Por mais que o trabalho pareça simples, você deve confiar no profissional contratado.

Muitas coisas parecem ser muito simples de serem feitas, sim. Mas parecer simples não é ser simples.

E o planejamento? Como chegar até esse resultado? Quais ferramentas usar? Por que fazer? Para quem vai ser direcionado? Por que o público vai usar e gostar? Como vai funcionar?

E, o principal: quantos anos de estudo e prática para fazer o que deve ser feito?

Layout finalizado e aprovado? Excelente! Mas não para por aí: ainda é preciso fazer a programação do layout.

4. Desenvolvimento do layout

Tempo médio: de 2 semanas a 4 meses

Desenvolvimento, ou programação, é um trabalho que pode levar muito tempo para ser finalizado. Tudo depende do porte do seu projeto, claro.

Um blog tradicional, por exemplo, vai ficar pronto rápido. Já um e-commerce com clube de assinatura vai levar um tempinho.

Nessa fase é quando a coisa começa a funcionar. Front-end, Back-end, plugins, ferramentas, funcionalidades etc.

É importante falar sobre essa etapa do projeto porque é comum acharem que o site fica pronto assim que o layout é finalizado. Mas não, são duas coisas bem diferentes!

Organização do ambiente de desenvolvimento

Em primeiro lugar, todo um ambiente de desenvolvimento é criado e organizado. Por exemplo, a instalação do WordPress em um ambiente local.

É ali que o desenvolvedor fará seu site funcionar, então é importante que o ambiente de desenvolvimento seja o mais parecido possível com o ambiente final – ou seja, com a hospedagem.

Além disso, nessa etapa o layout é fatiado. Todas as imagens, ícones e outros materiais do layout que serão utilizados para montar o site são coletados para o início do desenvolvimento.

Front-end e back-end

Depois de toda a organização que o trabalho começa, de fato, a ser feito.

Na etapa de desenvolvimento não há segrego: layout de um lado, edição de código do outro.

O resultado deve ser pixel perfect, porque não há coisa pior do que você aprovar um layout e depois ver o site pronto completamente diferente daquilo.

Tudo é desenvolvido individualmente e por etapas, garantindo mais organização e, é claro, um resultado melhor.

Plugins e integrações

Por fim, todas as possíveis integrações também são desenvolvidas em ambiente sandbox para que tudo esteja em ordem antes da publicação, é claro.

Me refiro a gateways de pagamento, ERP, APIs, plugins para WordPress ou outro CMS de sua escolha… coisas do tipo.

5. Testes

Tempo médio: de 1 dia a 2 semanas

ilustração de pessoas procurando por bugs em um site

É preciso ver se está tudo funcionando como deveria em todos os navegadores para computador, smartphone e tables. Básico.

Alguns desenvolvedores fazem testes em simuladores de dispositivos móveis como se isso fosse suficiente. Eu não.

Sempre que termino um projeto, faço uma bateria de testes em cada dispositivo de maneira individual, já que simuladores não são 100% confiáveis.

Cross-browser

Há algumas diferenças entre alguns browsers. Tais diferenças podem deixar seu site quebrado em um desses navegadores.

E por mais que alguns browsers sejam pouco usados, eu não os ignoro. Cada um escolhe o navegador que quiser – não é justo dar preferência só para a maioria.

E se a minoria for o público mais fiel? E nem que seja o mais fiel, a minoria ainda é público.

Desktop, laptop, tablet, smartphone… tudo testado!

Usabilidade e acessibilidade

Além testar o site para ter certeza de que ele está funcionando como deveria, é preciso ver se ele está funcionando da melhor maneira possível.

Ou seja, se é um site fácil de navegar, se está tudo claro e objetivo, se os textos são legíveis, e se tudo pode ser feito ou utilizado tanto em telas pequenas quanto em telas grandes.

Tendo em vista que a facilidade de utilização em dispositivos móveis é um fator de rankeamento no Google, esses testes jamais podem ser ignorados.

Painel de administração

Também é preciso testar o painel do site, é claro.

Além de ser uma forma de garantir que as edições e publicações de páginas e conteúdos estejam funcionando, é necessário testar possíveis erros de usuário.

Ou seja, ver como as ferramentas irão se comportar em caso de má utilização. Mensagens de erro, bugs no site e por aí vai.

Google PageSpeed Insights e Lighthouse

Por fim, antes mesmo da publicação, é importante fazer alguns testes de desempenho.

As ferramentas mais confiáveis para isso são as do Google, é claro.

Então, se ficou faltando alguma otimização ou se alguma coisa pode ser melhorada, esses relatórios irão apontar.

6. Hospedagem e lançamento

Tempo médio: de 30 minutos a 1 dia

ilustração de uma tela de computador escrito "w.w.w"

Hora de colocar o projeto online na hospedagem escolhida.

Além disso, a etapa da publicação também envolve alguns testes e configurações a mais.

Isso porque normalmente o que está em ambiente de testes tem uma série de conteúdos dummy justamente para que todas as possibilidades sejam testadas. No ambiente final, obviamente nada disso estará presente.

Por fim, um manual de utilização sempre deve ser entregue ao cliente para que ele tenha total autonomia.

Ah, e a publicação ainda depende de alguns itens que citarei abaixo.

Compra de domínio

O domínio é o endereço www do seu site. Ou seja, não tem como colocar seu site no ar sem um domínio.

A partir de R$ 40 reais anuais, os sites mais confiáveis para compra de um domínio são Registro.br e 101domain.

Escolha da hospedagem

A hospedagem é um computador virtual onde seu site ficará armazenado. Logo, é outro item indispensável para colocar seu site no ar.

Confira essa lista de hospedagens indicadas e não indicadas (assim você vai saber qual não escolher também). Ah, e dê uma olhada na WOWF também.

Contas de e-mail

Seu site precisará de pelo menos uma conta de e-mail para contato, certo?

O recomendável é assinar um plano de e-mails com uma empresa especializada no assunto. Mas não se preocupe: alguns planos são grátis.

É o caso do Yandex.Mail. Tem também o Zoho Mail, caso você não precise de mais de cinco contas (que é o limite do plano grátis).

Publicação do conteúdo

Quando tudo estiver no ar, provavelmente só vai faltar uma coisa para o lançamento do site: o conteúdo.

Normalmente essa tarefa é de responsabilidade do cliente, mas alguns preferem que eu já coloque tudo em seu devido lugar. Isso é combinado lá na etapa 1, do briefing, é claro.

7. Acompanhamento e auditoria

Tempo médio: ∞

O trabalho não para depois do lançamento.

Monitorar as estatísticas e outros dados do seu site é importante para mantê-lo funcionando bem, com bom desempenho no Google e também evita que você acabe perdendo a concorrência de vista.

Afinal, no primeiro sinal de problema ou queda, você já estará atento para tomar alguma medida.

Abaixo indico três ferramentas indispensáveis para um acompanhamento mensal do seu site:

Google Analytics

Se você não conhece, o Google Analytics é uma ferramenta completa e gratuita para análise de estatísticas do site.

É possível ver quantas visitas seu site teve por dia (ou até por hora), quais são as páginas mais acessadas, qual a média de taxa de rejeição e muito – mas MUITO – mais.

Google Search Console

printscreen de tela de resultados da busca do search console

Já o Google Search Console mostra como seu site é visualizado pelo Google.

Então, além de ver quais palavras-chave dão maior visibilidade para seu site, você também pode verificar se há problemas, erros e avisos para corrigir em seu projeto. Essa ferramenta também é grátis.

SEMrush

Por fim, o SEMrush é a ferramenta mais completa de SEO e SEM. Através dela você vê um diagnóstico completo do seu site, com fatores internos e externos para melhorias.

A ferramenta é paga, mas a partir desse link você consegue uma avaliação gratuita de 14 dias. É tempo mais do que suficiente para fazer verificações importantes antes de decidir se você vai assinar um plano ou não.

8. Suporte e manutenção

Tempo médio: ∞

O objetivo do meu trabalho é entregar algo que o cliente possa atualizar facilmente sem precisar do meu auxílio. É tudo personalizável através de um painel de administração, e também entrego um manual de instruções.

Porém, em alguns casos é preciso fazer um acompanhamento constante do projeto. Tudo depende da complexidade ou das intenções do cliente.

Nesse caso, você pode contratar um profissional para trabalhar mensalmente ou pontualmente em seu site.

9. Divulgação do site

Tempo médio: ∞

Tarefa indispensável se você pretende vender na internet (produtos, serviços ou cliques em banners).

Há diversas formas de se divulgar um site. Eis as principais, que você deve trabalhar constantemente:

  • Marketing de conteúdo: manter seu site atualizado, com conteúdos novos e relevantes, é imprescindível para buscar um bom rankeamento no Google;
  • Redes sociais: ter um ou mais canais para interagir com seu público e criar conteúdos exclusivos com frequência é uma excelente técnica de divulgação;
  • Google Notícias: cadastrar seu blog no Google News, mesmo que você não poste notícias, é uma forma de ser encontrado no feed do Google e atrair leitores fiéis;
  • Google Meu Negócio: já o Google My Business é uma boa para quem quer trabalhar com SEO local e ser encontrado no Google Maps, por exemplo.

10. Mantenha-se informado e atualizado

Tempo médio: ∞

GDPR - ilustração da bandeira da união europeia com um cadeado no centro

Por fim, é mais do que obrigatório manter-se informado sobre todos os fatores que podem impactar seu site – negativamente e positivamente.

Alguns exemplos:

  1. Leis: a internet está deixando de ser uma “terra de ninguém” com as leis GDPR e LGPD. E a tendência é que novas regras surjam em breve;
  2. Atualizações do algoritmo do Google: frequentemente o buscador faz mudanças em seu algoritmo. Com isso, há uma volatidade enorme nas buscas – o que pode alterar a posição do seu site se você não estiver esperto;
  3. SEO: com as mudanças que citei no item acima, o trabalho com SEO também muda com frequência. É preciso estar de olho principalmente no Google Search Console e no SEMrush;
  4. Atualizações de sistema: visando mais estabilidade e segurança, é preciso manter tudo atualizado sempre. Por exemplo: WordPress e plugins, temas, jQuery, PHP, MySQL etc.
  5. Padrões para a web: em um piscar de olhos alguns elementos do seu site podem parar de funcionar. É o caso de vídeos, banners e animações em Flash, por exemplo. Além disso, muitas melhorias de usabilidade e acessibilidade são lançadas de tempos em tempos.
  6. Tendências em geral: por fim, também é preciso estar antenado em tendências do seu nicho e da internet como um todo. Assim você evita que seus concorrentes larguem na frente.

Se achar isso complicado, tenha um profissional por perto para que ele te mantenha sempre atualizado!

Quanto custa um site feito do zero?

Como disse no começo do texto, cada caso é um caso. Só depois de um briefing bem feito é possível saber quanto vai custar um site do zero.

Não há uma média de preços, nem um mínimo ou máximo. Você pode ler algumas comparações nesse post para ter uma ideia do que eu estou falando.

Por fim, uma dica: desconfie. Busque trabalhos feitos pelo profissional que você contratar.

Já vi muitos casos de “sobrinhos” que pegam layouts prontos gratuitos (ou pirateados) na internet, fazem umas mudanças e vendem para o cliente como se fosse algo criado do zero.

Contratar um profissional ou criar o site você mesmo?

Seu projeto é um hobby ou uma profissão?

Pra que gastar dinheiro em um site se você mesmo pode fazer de graça?

Antes de saber se o preço vai valer a pena, você precisa saber se o site vai valer a pena. Ou seja, se realmente vai ser um gasto ou se será um investimento.

Contratar um profissional garante que seu projeto fique – olha só – profissional. Se a grana está curta ou o projeto não é tão importante assim, você pode optar por templates prontos, por exemplo.

Se for um site para seu negócio e você achar o preço muito alto, pense nisso como um investimento. Esse dinheiro não vai acabar voltando?

Se for um hobby: A sua qualidade de vida tem um preço?

Planeje-se!

Créditos das imagens: Freepik e sites citados.

Revisão

Ainda tem alguma dúvida? Confira abaixo:

O que significa site do zero?

O termo “site do zero” é usado quando o processo de criação de um site é feito desde o começo – do rascunho mesmo – até o lançamento.

Vale a pena criar um site do zero?

Criar um site do zero garantirá que tudo ficará do jeito que você precisa. Ao utilizar temas prontos ou construtores de site, você fica limitado ao que é oferecido. Ao trabalhar um site do zero, as possibilidades são infinitas.

Como criar um site do zero sem saber HTML ou programação?

Para criar um site do zero é preciso ter noções de Web Design e desenvolvimento. Você pode utilizar layouts e temas prontos para criar um site, mas dessa forma não será um trabalho feito do zero. Afinal, você estará utilizando algo que já está pronto – um “atalho”.

Não é permitida a reprodução integral desse conteúdo. A cópia pode ser ruim para você!

Quem é Fabio Lobo?

Web designer, desenvolvedor front-end e programador WordPress.

Quem é Fabio Lobo?

Estou há mais de uma década na área. O foco do meu trabalho é em usabilidade, facilidade pro usuário, acessibilidade, SEO e performance.

Também tenho alguns projetos open source, além de prestar consultoria em hospedagem WordPress e criação de conteúdo.

Como posso te ajudar hoje?

Trabalho com consultoria, suporte, manutenção, criação e desenvolvimento.

Fale comigo

Leia também...

...alguns textos que têm a ver com o assunto:

Quanto custa um site completo e profissional?

Veja comparativo de preços de criação de site com hospedagem, domínio, WordPress e mais recursos. Saiba quanto custa um site após briefing e orçamento.

O que é post? Significado, tipos e medidas

Por aqui, além de saber o que é post, você vai ver tipos e exemplos de posts, medidas para imagens de redes sociais e algumas dicas de criação!

Melhorias de performance e desempenho em sites WordPress

Aprimorar o carregamento do seu site não só irá deixá-lo mais rápido, mas também poderá melhorar seu posicionamento nas buscas e aumentar seus ganhos.

Comentários

28 comentários até o momento

  • Estou muito interessado em ter um template próprio, e sei que, o que vai ser gasto, vai voltar.

    Responder
    • Fala, Bruno!

      Recebi o seu e-mail; já já faço o seu orçamento, tudo bem? ;]

      Valeu!

      Responder
      • faz um orçamentp pra mim meu blog ta fazendo 1 mes hoje

        Responder
      • Amigo, eu gostaria q me passasse seu contato P falarmos sobre um blog q eu gostaria q vc fizesse o template dele…

        Responder
        • Oi, Michelle! Vi que você já entrou em contato. Vamos nos falando!

          Responder
  • Olá fabio pow cara nao cobra muito cara nao valeu Será algo básico

    Responder
    • Fala, Hiago!

      Cara, qualquer trabalho, sendo ele básico ou não, requer trabalho. Leia o artigo acima com mais calma para entender melhor. ;]

      Responder
  • cara ta de parabéns pela explicação, explanou muito bem e digo mais… tudo que você explicou tem muita razão e devido aos “sobrinhos” e aos profissionais que não se valorizam é que perdemos um pouco de créditos… mas não podemos dar o braço a torcer certo ? hehe

    sou webdesign também e faço justamente o que foi citado. exceto a valorização dos 10 browsers =(

    valorizo ie6 ie7 ie8 ff3+ opera9+ e chrome pouco faço para o safari..

    vlw grande abraço

    Responder
    • Fala, Rodrigo!

      Cara, só uma dica: O IE6 tornou-se obsoleto, pouquíssimas empresas estão dando suporte ao mesmo. Nem a Microsoft! Substitua-o pelo Safari, lembre que o público que usa Mac é grande. ;]

      Responder
  • Cara, Parabéns Pelo seu Trabalho inteiro. Quero ser um Web Dsigner profissa, Tenho apenas 13 anos , e quero fazer algumas aulas de Web Dsigner, Logo logo to na facul ja, Quero ter um Template de um Blog só meu, De minha Autoria =D , Li tudo oque você Citou La “encima” e Entendi, Varias pessoas Não Valorisão o Trabalho dos Web Disgners , Eles Fazem o Template e Retiram Creditos, e isso acaba não dando ” Popularidade ” se posso Citar assim.

    abraço o/

    Responder
    • Fala, Vinicius!

      Boa! E fuce bastante, prática é essencial. ;]

      Responder
  • Nossa Fabio, está de parabéns pela forma clara de demonstrar para nós criadores de blogs o importante do layout e tal…
    Vou fazer um orçamento, mas como que é feito esse processo mesmo?
    Obrigado ^^.

    Responder
    • Fala, Ramon!

      Obrigado pelo elogio, rapaz! E em relação ao orçamento, é só pegar tudo o que o cliente quer, transformar isso em horas que você vai gastar com tudo e transformar essas horas em um valor. Aí vai de cada um!

      Responder
  • bom, gostei mto de vários post e desse principalmente, pq apesar de ser um “amador” sem nenhuma didatica em sala de aula, faço meus layouts, blogs e sites pra comerciantes e tenho que cobrar mto barato pq eles acham que e simplesmente abrir uma conta no ORKUT que e colocar um e-mail uma senha, nome do comércio e pronto. mas so faço os que ja prometi depois não faço mais, Se é tão fácil? pq me procuram pra fazer?

    Responder
    • Antonio, sem estudo e persistência, você não tem argumentação e nem um portfolio rico, quem sabe cases. Logo, o trabalho sempre será mal remunerado e os clientes sempre vão questionar como se tudo fosse muito fácil – a nossa profissão não é só fazer o que o cliente quer, é fazer o que o cliente precisa e explicar isso pra ele, passar confiança. Fica a dica. ;]

      Responder
  • Boa noite Fabio, gostei muito do seu post. Eu estou começando o meu blog,
    e quero um Layout mais a minha cara. um tipo de blog comic de videos e imagens engraçadas.
    como faço pra saber o preço dos themes?
    Obrigado.

    Responder
    • Como assim? Normalmente, os sites que vendem temas de WordPress, como o TemplateMonster, divulgam o preço.

      Responder
  • Olá Fábio,
    Desde muito tempo sou seu fã e do André Bets. Admiro muito o trabalho de vocês. Tenho 14 anos e meu sonho é ser um web designer como você ^^ (serião, não to puxando saco =D ) . Já sei criar templates para Blogger, e sites simples com PHP e CSS . Mas acredito que um dia chego lá. Nunca fiz um curso ou algo do tipo. Tudo que aprendi foi fuçando e fuçando. Nunca fiz um blog ou site para outras pessoas somente para mim mesmo até porque meu trabalho é bem simples. Caso você pudesse me dar uma dica de como criar logos e mascotes eu ficaria agradecido pois eu desenho bem no papel mais quando passo pro computador vira aquela merda rs… Agradeço desde já!

    Responder
    • Fala, Leonardo!

      Bacana saber que você curte nosso trabalho, obrigado!

      Eu comecei como você: não fiz nenhum curso, aprendi fuçando e coisas do tipo. Mas só quando comecei a estudar de verdade eu vi meu trabalho evoluindo. Então, recomendo que você procure por cursos cujo conteúdo te agrade!

      Responder
  • Muito bom seu cometário, mas acredito que os preços, muito baixo e muito alto que foram comentados, existem devido a dificuldade de se encontrar comentários mostrando valores e como se chegar a esses valores. Fiquei desempregado a mais ou menos 2 semanas e como tenho conhecimentos em CSS, HTML, PHP, estou pensando em ganhar dinheiro fazendo sites. Já pesquisei vários comentários e percebo que não existe um padrão para se chegar a um determinado valor. Falam muito em valorização. Uns apenas dão um determinado valor, outros por páginas, outros por tipo de site e etc…
    A minha pergunta é: Como se cobra? Por página?, Por conteúdo?, Por tipo? Por conteúdo, página e tipo? Se for por página, quanto seria o valor por página? Por página e tipo, então quanto se cobraria?
    Acredito que quando os comentários vierem com as duas informações, vamos começar a ter um padrão de cobrança e a valorização que tanto se fala, irá começar a existir.

    Responder
    • Airton, de certa forma em todas as áreas é assim. Você precisa cobrir seus gastos (por exemplo: internet e energia elétrica + tempo que você está utilizando no projeto), e o resto é lucro. O lucro cada um define do seu jeito. Por exemplo, você pode ir a um boteco e comer uma coxinha por R$2,00, e depois ir a um bar mais “chique” e comer a mesma coxinha por R$5,00.

      Responder
  • gostaria de ter meu blog com minha personalidade e organizado pode me ajudar??

    Responder
  • Eai Fabio!

    To adorando suas postagens! Estão me ajudando a tirar muitas dúvidas. Mas mesmo depois desse artigo, uma permanece: como eu sei que não estou cobrando caro ou barato demais? Você poderia dar um exemplo mais concreto de orçamento? (eu tenho literalmente 0 de xp nesse quesito!)

    Um toque: você poderia adicionar data às suas postagens – e se possível, aos comentários – porque fica difícil saber se o blog ainda ta ativo ou se uma resposta ainda é relevante :D

    Valeu!

    Responder
    • Oi, Klarissa! Não tem essa de caro ou barato demais – cada um define seu próprio preço e se adapta com o mercado.

      Sempre tento manter os posts atualizados já que a maioria dos assuntos são atemporais – essa semana mesmo vou atualizar algumas coisas :D

      Responder
  • Um “problema” ocorre às vezes: ao trabalhar, por exemplo, a criação de um flyer, envio 2 ou 3 modelos para o cliente avaliar e ele acaba aprovando todos – e quer ficar com todos. O problema é que orcei apenas UM flyer, vou entregar 2 ou 3? OK, já estão feitos, mas não seria correto cobrar um valor adicional para entregar tudo?

    Responder
    • É correto e justo cobrar por peça, Luís, mas é bom indicar isso no momento do orçamento.

      Algo como “no caso da contratação de uma peça adicional, será cobrado X por peça”.

      Responder

Deixe seu comentário

Se você deseja um orçamento, entre em contato clicando aqui.

Quero um orçamento