Criação de logo com conceito e identidade visual

Eu sou designer de logo: saiba como é o trabalho de design de logotipos e identidade visual. Veja exemplos, tendências, manual da marca, conceitos e inspirações.

Por Fabio Lobo, atualizado em 30/07/2020. 33 pessoas falando sobre isso!

De certa forma, o logo é a “primeira impressão” da empresa, não é mesmo? Em alguns casos, é a primeira coisa que o cliente vê; com o tempo, é o que vai fazer os clientes lembrarem da empresa. Sendo assim, a criação do logo precisa ser planejada para passar uma mensagem, traduzir o que a empresa ou negócio é.

Quando você entende como é feito um logo, percebe que há muita coisa envolvida além da estética. Há conceito, além de normalmente o design do logo ser o ponto de partida para uma identidade visual completa.

Eu faço design de logos há algum tempo. Então, decidi fazer um post sobre todo o processo envolvendo a criação de um logo, mas já adianto que este é o meu processo: cada designer tem seu jeito.

Nesse post você vai ler:

  • A importância de um logotipo;
  • O que é identidade visual e qual a sua importância;
  • Como é feita a criação de um logo, passo-a-passo;
  • Dicas para a criação de uma logomarca de sucesso;
  • Exemplos de logos profissionais e para inspiração;
  • E respostas para algumas dúvidas comuns sobre design de logotipos.

Vamos lá?!

foto com um designer trabalhando na criação de um logo em seu laptop
Conheça o trabalho de criação de logos e identidade visual!

Logo e sua importância

Acho que no começo desse post já resumi bem qual a importância de um logo. Um logotipo, além de passar a primeira impressão, vai ser a lembrança da empresa.

Por exemplo, se você vê um M amarelo gigante no horizonte, já sabe que vai encontrar um Big Mac por ali. Se você quer mandar uma mensagem para alguém em seu smartphone, quando bater o olho em um ícone verde com um balão e um telefone dentro, já sabe que é esse o aplicativo que você precisa.

Ou seja, você não precisa de uma descrição ou ler um nome. Uma imagem já é o bastante.

Em alguns casos, o logo serve como certificado de qualidade. Se você tem uma marca favorita, irá sempre optar pelos produtos dela. Então, quando estiver no mercado, basta ver o logo da marca estampado em um produto pra saber que você encontrou o que queria.

Em algumas áreas, o logo serve como assinatura para identificar quem fez o projeto. No geral, tudo que você gosta tem um logo: do seu time do coração ao seu app favorito.

Então, se um logo é importante para identificar rapidamente uma empresa, produto, canal de televisão (e por aí vai), ele deve ser uma representação visual dessa empresa. Não importa se o desenho é extremamente óbvio ou com alguma mensagem escondida: com o perdão do trocadilho, o logo tem que ser marcante.

E quando a identidade visual da empresa é bem feita, você passa a lembrar da marca até mesmo quando não há logo: alguns detalhes, como estilos, elementos e até mesmo combinação de cores, já fazem você saber qual é a empresa por trás dessa comunicação.

Explicação sobre conceito, ou defesa do logo

Também é importante elaborar uma defesa de seu logo. É uma explicação do logo de uma forma mais, digamos, “vendedora” (ou institucional).

É comum encontrar o significado do logo da empresa na página “Sobre”, junto com missão, visão e valores.

Não me entenda mal: ter que explicar um logo não significa que tal logotipo é mal feito ou difícil de entender. Em alguns casos, a imagem que a empresa quer passar está em seu logo de maneira não tão óbvia assim.

Por exemplo, o logo da Unilever é composto por vinte e cinco ícones que representam o que é importante para a empresa. Não tem como saber disso só olhando para o logo, porque vai além do óbvio.

De uma mecha de cabelo, que simboliza nossas marcas de xampu, a uma colher, um sorvete, uma jarra, uma folha de chá, uma mão e muito mais, todos os ícones têm um significado.

Site oficial da Unilever

Com uma defesa do logo a empresa pode se aproximar de seu público de maneira mais humana, de certa forma. Por isso, um conceito é importante.

A importância de identidade visual bem definida

A identidade visual é, basicamente, todo o conjunto de elementos que fazem parte da comunicação visual da empresa.

Tudo tem um padrão. Assim, há regras para tudo o que deve ser respeitado na criação de todos os materiais da marca, como utilização correta do logo, tipografias, cores, iconização, estilos em geral e por aí vai. Normalmente isso tudo é definido no manual da marca.

Quando há essa padronização, tudo remete à marca – ao logo. Por isso, o logo costuma ser o primeiro passo de uma identidade visual: é a partir dessa arte que a comunicação visual começa a ser definida justamente para reforçar a lembrança da marca.

Mas, claro, isso faz mais sentido quando a empresa trabalha sua divulgação em diferentes mídias, como comerciais de TV, anúncios impressos, lojas físicas e por aí vai.

Cada caso é um caso. Por exemplo, a identidade visual de um site costuma ser mais simples, não necessitando de um manual completo.

É o meu caso: não faço nenhuma comunicação offline (impressa), tenho apenas esse site e alguns perfis em redes sociais. Então, não preciso de um manual de identidade visual bem elaborado e cheio de regras, porque toda a comunicação se limita ao site.

Exemplo de padrões visuais em um site

Pra exemplificar de maneira prática, aqui no meu site você vai encontrar os seguintes padrões de identidade visual:

  • Cores (laranja e azul do logo, duas tonalidades de bege claro para complementar e cinza escuro para os textos);
    • Repare que a utilização das cores também segue um padrão. O laranja é utilizado para títulos e elementos secundários (hover de links, detalhes de layout e submenus), e o azul para elementos clicáveis (links e botões). Já os tons de bege são para fundos e bordas;
  • Tipografia (atualmente utilizo apenas a Arial, por ser uma fonte de sistema – logo, mais leve);
    • A tipografia também tem uma padronização de tamanhos pra respeitar hierarquias (títulos) e facilitar a leitura;
  • Formatos arredondados (botões, campos de formulário, ícones e fotos de clientes, além do próprio logo);
  • Grid, diagramação e formatação (há medidas específicas para as colunas do site, além de botões, imagens e vídeos);
    • Nesse caso, o padrão de diagramação facilita a navegação do usuário, porque todas as páginas têm a mesma estrutura, o menu está sempre no mesmo lugar e também há uma preocupação com a quantidade de elementos na página.

Veja que tudo no design tem uma conexão com minha marca. Isso é o básico de uma identidade visual.

Quando algo foge do padrão, isso acaba tendo mais destaque (o que não é uma coisa boa) justamente porque destoa visualmente. Agora, se não há um padrão em nada, fica parecendo um trabalho de colagem.

É o caso de quando templates prontos são utilizados (ou principalmente construtores de sites como o Wix): normalmente o visual do template não tem nada a ver com o logo (talvez apenas as cores). Fica na cara que não houve uma preocupação com a identidade da marca, porque cada elemento visual é feito de uma maneira diferente.

Exemplos de manual de identidade visual

Minha área de especialização é com criação de sites. Por isso o melhor exemplo de identidade visual que pude dar é justamente o de um site.

Então, pra deixar esse tópico mais completo, separei alguns manuais de marcas de diferentes nichos pra mostrar que padronizar a comunicação visual pode ser muito mais complexo do que parece:

  • Uber: um manual de identidade visual bem completo, com diversos materiais para download.
  • WhatsApp: um manual da marca mais simples, com regras e exemplos básicos.
  • Twitter: bem organizado e dividido por tópicos, esse manual de comunicação visual também é repleto de downloads.
  • Adobe (pdf): esse é um exemplo de manual de identidade mais técnico, voltado para um público específico (nesse caso, desenvolvedores).
  • Governo de São Paulo: Por fim, um manual de identidade visual tradicional, em PDF e muito completo (reunindo até mesmo histórias e conceitos, além de inúmeros exemplos de aplicação da marca).

Como disse mais acima, cada caso é um caso. Nem sempre um manual de identidade visual é necessário – mas ter uma identidade visual é o mínimo para qualquer tipo de projeto, de qualquer porte.

Como é o trabalho de criação de logo

Agora que falei sobre a importância de um logotipo bem feito e de uma identidade visual bem definida, vou detalhar um pouco mais como é feito o design de um logo.

São basicamente quatro passos: briefing, pesquisa, conceito e criação.

1. Elaboração do briefing

Antes de colocar a mão na massa é preciso saber o que deverá ser feito. Sendo assim, é imprescindível ter informações sobre a empresa (ou o produto, o blog, o serviço… enfim, vou usar “empresa” só para exemplificar), sua área de atuação e seu público.

Então, os questionamentos mais comuns para iniciar o briefing de um logo são:

  • Qual nome deverá constar no logo? Um slogan fará parte da composição?
  • Onde o logo será aplicado?
  • Quais sensações/mensagens deverão ser passadas através dessa nova marca?
  • Há preferências visuais e referências por parte do cliente?
  • Como são os produtos/serviços/conteúdos da empresa? Há diferenciais?
  • Qual é o público alvo da empresa?
  • Quais são os concorrentes da empresa?

Quanto mais dúvidas forem esclarecidas, mais a empresa será entendida e poderá ser traduzida em uma imagem – o logo.

2. Pesquisa de mercado

Aqui, mais algumas dúvidas são tiradas. Exemplos:

  • Quais são os concorrentes da empresa? O que eles oferecem de diferencial?
  • Há algum padrão de cores, estilos, tipografia (dentre outros) utilizado por empresas dessa área? Se sim, há uma explicação para isso?
  • O que o público dessa área procura? Como e por quê? Além disso, qual é sua faixa etária, sexo (em alguns casos há uma segmentação) e outras informações que possam ser relevantes?

Como você pode ver, os questionamentos vão muito além da estética. Há todo um estudo que envolve mercado e público, porque é preciso entendê-los para saber como ser assertivo.

3. Busca por um conceito para a marca

Já conheço a empresa, o mercado e o público. Todas as informações necessárias para criar um logo que traduza a empresa estão devidamente anotadas no briefing.

Agora é preciso extrair um conceito disso tudo. E o conceito pode nascer de algo que complemente as informações, ou seja: ele poderá não sugir necessariamente através do briefing ou da pesquisa.

O designer de logo pode ter um insight com algo que dará uma personalidade única à empresa, coisa que nem o próprio dono dessa empresa percebeu (não por falta de atenção, mas por não ter conhecimento sobre design de logos).

É aí que tá: o trabalho do designer de logotipos não é fazer um desenho bonito com o que o cliente pediu. É entregar a melhor solução, é criar um conceito. O designer pode ter uma participação indireta no proprósito da empresa.

4. Criação do logo

E finalmente mão na massa! Pra exemplificar melhor essa etapa, vou utilizar o processo de criação do meu próprio logo.

1. Análise dos logos anteriores

No meu caso, eu já tinha um logotipo. Na verdade, já tive mais de um.

Quando isso acontece, é preciso analisar cada logo que a empresa já teve, então não podemos descartar totalmente os logos anteriores.

logos anteriores de fabio lobo
Logos anteriores.

Criado em 2009, o primeiro logo (o da esquerda na imagem acima) foi trabalhado com cores e traços que representavam bem a ideia que eu queria expor sobre meu trabalho.

Foi o início de tudo, literalmente: Eu estava começando a fazer alguns trabalhos como freelancer e precisava de uma marca sutil para assinar meus projetos. Optei por traços fortes e dinâmicos porque a web é isso: está sempre mudando, sempre em movimento.

Azul e laranja não foram cores escolhidas por acaso. Segundo a psicologia das cores, o azul transmite confiança, e o laranja energia. Por fim, o logo também precisava ser legível em tamanho reduzido, já que eu o utilizaria como assinatura e ícone do navegador.

Eis que, mais de dois anos depois de tê-lo criado, em 2011 me convenci de que meu logotipo merecia uma roupagem nova. Foi quando eu criei o segundo logo (o da direita na imagem acima).

A ideia foi manter o conceito e os elementos (principalmente o círculo com o F), mas mudar o visual. Uma marca que tivesse mais personalidade e que fizesse sentido se fosse utilizada sem meu nome ao lado.

Aí eu te pergunto: O que um F e meu sobrenome Lobo têm em comum?

2. Pesquisa por referências visuais

fotos de lobos lado a lado, com o desenho de um "F" na altura do pescoço até o fucinho
Referência visual: um lobo de perfil.

Sim, a principal referência para o novo logo foi um… lobo, justamente pelo fato de unir duas coisas: Meu sobrenome e a inicial do meu primeiro nome – os pelos na região do pescoço até o focinho do lobo geralmente são mais esbranquiçados, o que dá um formato quase que perfeito da letra F quando vistos de perfil.

Como você pode perceber, no segundo logo essa ideia já foi utilizada. No novo logo isso deveria ser mantido, mas com uma cara mais moderna.

3. Rascunhos do logo

rascunhos do logo de fabio lobo utilizando as referências dos lobos como base
Alguns rascunhos do meu logo.

Olha só que coisa… feia.

Roughs, ou rascunhos não precisam ser bem feitos ou bonitinhos. Afinal, são apenas rabiscos, ideias. É algo que você já tem em mente e quer testar antes de começar a trabalhar na arte. É mais rápido e mais “criativo” rabiscar tudo no papel.

Eu havia feito vários rabiscos no papel para todas as versões do logo, mas não guardei todos (ou não os encontrei no meio da bagunça).

Aliás, eu nunca, JAMAIS apago um rascunho durante o processo de criação de logo. Acredite, por pior que ele seja, uma hora ele poderá dar uma ideia e resolver o problema. Mesmo que eu tenha errado algo, deixo ele ali e começo outro rabisco do zero. Isso já me salvou algumas vezes.

4. Testes de layout

Depois dos rascunhos, os testes. Nesse caso eu guardei alguns de todas as três versões do logo:

testes das três versões de logo do fabio lobo
Testes, testes e mais testes.

Esses são estudos de cores, com a ilustração já finalizada. Achei interessante colocar todos assim, lado a lado, pra mostrar que o logo sempre evoluiu mantendo características importantes. É possível associar uma versão do logo a outra, porque nunca houve uma mudança muito brusca.

Cada versão representa uma fase diferente da minha carreira, de certa forma – até porque eu sempre fui contra mudanças bruscas de identidade visual como um todo, a não ser que a empresa também mude sua área de atuação, por exemplo.

Eu evoluí bastante durante esse tempo, mas continuo prestando o mesmo serviço. Então, o que criei foram evoluções do logo.

5. Finalização do logo

No início de 2014 minha fase profissional estava bem agitada, pois comecei a trabalhar com consultoria para uma agência além de web design e front-end. Me transformei em um profissional multi-tarefa.

Sendo assim, para a terceira e atual versão do logo, busquei tons mais vivos de azul e laranja. Também abri mão dos traços fortes e deixei as linhas mais sutis e leves, sem contornos – mas mantive a sensação de movimento com curvas dinâmicas.

E, é claro, meu logo não acompanhou só minha vida profissional, mas também um estilo de design que estava em maior evidência (afinal, faz parte do meu trabalho acompanhar tendências): minhas duas inspirações foram flat design, que é um design mais simples e com cores chapadas, e a versão do iOS, da Apple, na época, que além da simplicidade trazia cores mais vibrantes.

duas versões do logo atual do fabio lobo
Duas versões do mesmo logo.

Durante pouco mais de um ano, utilizei a primeira versão na imagem acima. Depois, em mais uma nova fase profissional e com o fim da correria que foi o ano anterior, a partir de 2015 decidi utilizar cores menos vibrantes, mas mantive a mesma ilustração.

apresentação de logo de fabio lobo

Por fim, a partir de 2017 adicionei meu nome e sobrenome formando um nome só ao lado do logo para ser utilizado por aqui, no site. Para isso, utilizei a fonte Trebuchet MS, que além de ser minha fonte favorita tem um significado que faz muito sentido para o logo.

Desenhada por Vicent Connare para a Microsoft Corporation em 1996, a Trebuchet MS é uma família tipográfica sem-serifa.

O nome foi inspirado na arma medieval homônima após Connare ouvir uma certa charada na sede da Microsoft: “Você consegue fazer uma trebuchet que lançaria uma pessoa do campus principal para outro campus a um quilômetro? Isso é possível? Como?”

Connare pensou que esse seria um grande nome para uma fonte que lança palavras através da internet.

Uma curiosidade: Connare também é inventor da Comic Sans!

Resumo do logo:

  • Cliente: Web designer e desenvolvedor;
  • Briefing: Manter cores e características dos logos anteriores, com um visual mais moderno;
  • Conceito geral: O lobo e o F formam a mesma imagem, assim como nome e sobrenome formam uma palavra só (com isso, o ícone do logo pode ser utilizado sozinho, porque ele já representa o nome). As cores representam criatividade, confiança e energia.

Exemplos de design de logos

Separei alguns logos que criei recentemente. Cada um tem uma particularidade, então escrevi suas defesas.

Logo para blog de notícias sobre ciência e tecnologia

logo antigo do hypescience
Antes
apresentação de logo de hypescience
Depois

No briefing, o cliente sugeriu um logo tipográfico e que pudesse seguir as cores do atual. No geral, eu teria carta branca para sugestões.

Após uma pesquisa, percebi que o logo merecia ao menos um ícone simples. Isso porque, após dar uma olhada na tabela periódica (afinal, o que é mais tipográfico que a tabela periódica?), tive uma ideia meio maluca com o elemento Hássio (Hs).

  • O Hássio é gerado através de experiências, bombardeando chumbo com ferro;
  • Hype é basicamente “algo que tá dando o que falar”, ou seja: um bombardeio de informações, um buzz;
  • O Hássio também é radioativo, e radiação tem a ver com propagação (aí o elo com hype e propagação);
  • Por fim, mas não menos importante: isso tudo é ciência (rá!)

Minha preocupação foi não apelar para um clichê, utilizando um elemento da tabela periódica apenas por ter a mesma sigla que o nome do site. Por isso fiz essa pesquisa, para encontrar uma explicação, um conceito.

Tendo em mente essas ideias de experiências, bombardeios e propagação, surgiu um propósito para o ícone “Hs”. HypeScience passaria a ser Hypescience (uma palavra só), com science negritado e o símbolo Hs bem estilizado.

  • Tipografia: duas fontes, sendo uma para o ícone e outra para o nome do site com dois pesos diferentes (light e bold). Além de destacar a parte “science”, deixa o desenho do logo mais dinâmico;
  • Cores: azul e laranja eram as cores predominantes da identidade do site, então mantive ambas com uma tonalidade diferente;
  • Aplicação: apliquei o logo em 3 fundos diferentes, criando uma padronização das cores e uma identidade visual a ser seguida.

Logo para consultório de estética dental

logo antigo da natália mósca
Antes
apresentação de logo de natália mósca
Depois

A necessidade da cliente era ter um logo com um ícone que representasse seu trabalho, algo que fosse facilmente identificado.

Analisando o logotipo de outros consultórios, percebi que, mesmo sem intenção, alguns eram assustadores.

Então, minha ideia para o logo foi fugir dessa coisa meio assustadora de ter um parafuso no meio do dente por conta de uma cirurgia. O paciente já sabe que vai ficar com metais na boca, vai sangrar, vai doer… ele não precisa lembrar disso vendo um logo.

Na arte, uma parte do próprio dente tem um formato de uma prótese estilizada, dando a entender que o papel da doutora é completar o dente. Ou seja, parecer algo natural, simples e bem feito.

Se você acompanhar o dente na diagonal, de baixo pra cima, vai perceber que é como se ele estivesse “melhorando” – da raíz “consertada” até o brilho, que representa a parte de estética do trabalho.

  • Tipografia: duas fontes, sendo uma para o nome e outra para a tagline;
  • Cores: trabalhei com tonalidades de azul, que além de seguir a identidade anterior do site, traz uma certa sensação de refrescância. Na psicologia das cores o azul também representa calma, confiança e segurança;
  • Aplicação: são quatro tonalidades de azul, mais a cor cinza. Apenas as tonalidades mais escuras do azul podem ser utilizadas como fundo para não atrapalhar os círculos que formam o ícone.

Logo para blog sobre tendências

logo antigo do awebic
Antes
apresentação de logo de awebic
Depois
apresentação de ícones do logo awebic

Aqui o cliente queria apenas uma modernização do logo.

Depois de alguns rabiscos, testes e busca por referências, confirmei: o logo já é muito bom, só precisava de um acabamento melhor e um conceito.

Sempre fui fã de logos alltype. Para mim eles passam uma simplicidade que traz uma complexidade enorme nas entrelinhas. Um logo tipográfico é aquela coisa que atingiu a perfeição, não precisa de nenhum apoio (como um ícone) – se vira sozinho.

Fazendo um estudo, percebi que “raio” tem muito a ver com buzz (algo que faz parte do conteúdo do site): chama a atenção, é incontrolável e com impacto que pode ser devastador. Além disso, no início da página “Sobre” do blog consta que “O Awebic foi criado com a missão de chamar atenção para coisas importantes”. Se tem uma coisa que um raio faz é despertar atenção.

Por fim, também tem toda essa questão de energia e força, que tem tudo a ver com o logo: uma tipografia negritada, mais “forte”, bem arredondada e dinâmica – dessa vez com o raio mais valorizado no A, com um corte sutil na parte superior. O A também ficou menos aberto, e o raio alinhado com as letras w, e & c. Ou seja, o logo passou a ficar mais equilibrado.

  • Tipografia: uma única fonte, com a letra “A” recriada;
  • Cores: mantive as cores da identidade anterior, dando uma leve escurecida no amarelo para ele “casar” melhor com o azul, além de dar um maior contraste em elementos no layout;
  • Aplicação: o logo tem variações negativas (quando é aplicado em um fundo azul ou amarelo, o elemento da mesma cor no logo passa a ser branco). E com o corte no A, o raio também pode ser usado de maneira separada.

Inspiração: 5 logos simples e criativos

Todo designer tem uma biblioteca de referências. Sempre mantive a minha atualizada, então vivo dando uma olhada em busca de inspiração para novos trabalhos.

Simplicidade é algo que eu gosto bastante em todos os aspectos, principalmente em logos – não é por acaso que meu trabalho de criação de logos é quase que uma homenagem à simplicidade (inclusive meu próprio logo).

Às vezes a simplicidade é tamanha que passa despercebida – ou até mesmo interpretada de forma errada, como no logo do Carrefour (é um “C” ou um ET?).

Abaixo, juntei cinco logos simples e criativos. Você vai perceber que “menos” realmente é “mais”!

1 – Fedex

logo sutil - fedex

Um clássico do Gestalt. Apenas com a tipologia o logo consegue passar sutilmente um conceito muito forte com essa seta “subliminar” entre o E e o x. Consegue vê-la?

2 – Spartan Golf Club

logo simples e criativo - spartan golf club

Mais uma vez o Gestalt é aplicado. Ao mesmo tempo que é uma pessoa jogando golf, o logo também ilustra um espartano. Alguns detalhes muito simples fizeram toda a diferença, e o resultado final foi um logo muito criativo.

3 – A-Style

logo ousado - a-style

Encontrei esse logo em uma lista de “fails“, onde o autor do post mostrava vários logos que remetiam um duplo sentido não proposital que poderia transformava o logo numa piada de mau gosto.

Porém, no Caso do A-Style, que é uma fabricante de roupas, a mensagem subliminar (que não é subliminar, é explícita) foi proposital. Basicamente uma brincadeira com o termo “doggy-style”, o que foi uma bela sacada, com o perdão do trocadilho.

Ou seja, simplesmente ousado, o que é justamente a cara da empresa.

4 – Amazon

logo conceitual - amazon

A primeira impressão é de que há um sorriso no logo, certo? Bom, realmente há, mas o real conceito do logo é: a Amazon vende de tudo, literalmente de “A” a “Z”. A seta liga justamente essas duas letras.

5 – Freedom

logo simples - freedom

Esse logo é tão simples e tão genial que dispensa comentários. É uma das provas de que o conceito vem dos detalhes, e um logotipo não precisa ser enfeitado. E, por mais simples que o logo seja, não é qualquer um que faz um trabalho desses.

Dicas para criação de logo profissional

Por fim, deixo aqui algumas dicas que sigo na hora de criar um design de logo.

Esteja atento às modas

Quem pensa que as modas do momento não ditam a forma como as pessoas reagem aos aspetos visuais de uma marca, está redondamente enganado.

Conhecer as tendências de logotipos para 2020 pode realmente ser a forma de garantir a criação de um logo que se adapte à sua marca e que, simultaneamente, crie empatia e apelo junto dos públicos potenciais.

As pessoas são, hoje, fortemente influenciadas pelas tendências do momento e, por isso, para o criador de uma marca, segui-las é fundamental.

Aposte na simplicidade

O logotipo é o símbolo que vai identificar a sua empresa junto dos consumidores e, por isso mesmo, é importante que seja um símbolo que crie uma sensação de familiaridade e reconhecimento.

A aposta na simplicidade poderá fazer com que as pessoas associem o logotipo ao nome da sua marca e aos produtos que esta comercializa.

Muitos logos evoluíram diversas vezes com o passar do tempo, e a maioria foi ficando cada vez mais simples.

Abaixo, um vídeo ilustra isso – tirando a marca Adidas, que nunca mudou, apenas fez variações de seu logo para cada um de seus segmentos.

É claro, não é em todos os casos que a simplicidade fará a diferença. Acima de tudo, o conceito deve ser levado em consideração, não a “maquiagem”.

Por exemplo, o logo da FedEx não é lá muito bonito, mas não precisa ser. Dizem que o conteúdo vale mais do que a embalagem, não é mesmo?! Isso se aplica a logos também. Aliás, sempre defendi que o design não tem que ser bonito.

Confie na originalidade

A tendência para tentar imitar marcas que já têm sucesso pode ser, em termos de estratégia, um dos maiores erros.

Sendo uma imagem que visa a relação direta com a sua marca, esta não deverá aproximar-se demasiado de outras imagens e, principalmente, não daquelas que são facilmente identificáveis pelos públicos.

Além de existir o risco de que seja considerado uma cópia – o que é ilegal – isto poderá minar a confiança do seu público.

Aposte no que atrai

Cores e formas apelativas são importantes para que o público reconheça e manifeste interesse na marca.

Assim, sem esquecer o teor da sua empresa e os seus valores, procure criar a imagem mais apelativa possível.

Leve sua marca a sério

Aquele papo de que “a primeira impressão é a que fica” é muito verdadeiro. E se o logo da sua empresa for algo totalmente amador, sem conceito ou simplesmente inexistir, a primeira impressão para seus clientes em potencial é de que seu negócio não é profissional.

Portanto, se for possível financeiramente, contrate um profissional para criar uma identidade visual para seu negócio. É um investimento que fará toda a diferença a curto, médio e longo prazo.

Dúvidas?

Separei algumas dúvidas comuns sobre o assunto:

Como se escreve: logo, logotipo, ou logomarca?

Tanto faz. Alguns designers fazem birra com o uso de “logomarca” por ser redundante: logo, do grego “Logos”, significa conceito, significado; marca vem de “marka”, que tem exatamente o mesmo significado de “logo”.

Use o termo que preferir!

Um logo precisa mostrar exatamente o que a empresa faz?

Não!

Muitas vezes isso seria redundante. Por exemplo, imagina se o logo da Coca-Cola tivesse o ícone de uma garrafa de refrigerante, ou o do Mc Donald’s um hambúrguer.

Seriam redundantes e até mesmo amadores: um logo assim é só mais um no meio de vários, não tem nada de único.

Quanto custa um logo?

Cada caso é um caso. Depois de tudo o que foi dito acima, é evidente de que não é um processo simples, portanto não deve ser “barato”.

Mesmo sendo algo extremamente básico, todo o estudo que foi feito para chegar a tal resultado não foi nada fácil.

Não importa se é um logo como o da Nike ou como o da Warner Bros., todos dão trabalho e são fortes, têm personalidade.

Então, não há um preço médio para a criação de um logo: tudo depende de um briefing. Se você está precisando de um logotipo, que tal me pedir um orçamento?

Créditos das imagens: Freepik, sites das empresas dos logos citados e arquivo pessoal.

Não é permitida a reprodução integral desse conteúdo. A cópia pode ser ruim para você!

Quem é Fabio Lobo?

Web designer, desenvolvedor front-end e programador WordPress.

Quem é Fabio Lobo?

Estou há mais de uma década na área. O foco do meu trabalho é em usabilidade, facilidade pro usuário, acessibilidade, SEO e performance.

Também tenho alguns projetos open source, além de prestar consultoria em hospedagem WordPress e criação de conteúdo.

Como posso te ajudar hoje?

Trabalho com consultoria, suporte, manutenção, criação e desenvolvimento.

Fale comigo

Leia também...

...alguns textos que têm a ver com o assunto:

Por que assinar seus trabalhos?

Um web designer ou desenvolvedor deve ou não adicionar sua assinatura no rodapé dos sites que faz? Confira os prós e contras!

Principais conceitos de Web Design e Desenvolvimento

Você sabe o que é pregnância da forma, leiturabilidade e escaneabilidade? Conheça conceitos de web design que fazem muita diferença na criação de sites e apps.

Como desenvolvo temas para WordPress

Há diversas formas de se trabalhar com WordPress. Conheça minha metodologia de trabalho de criação e desenvolvimento com essa plataforma.

Comentários

33 comentários até o momento

  • Legal essa sua abordagem do uso do logo em diversos tipo de midia.
    Muito “sobrinhos” hoje em dia utilizam o 3d Studio ou Maia pra fazer logo. Abusam de efeitos, luzes, reflexos, e na hora de imprimir um simples cartão de visita é que percebem a besteira que fizeram.
    Parabéns pela matéria.

    Abs

    Responder
    • Fala, Neco!

      Hahaha, a do “sobrinhos” foi boa. É bem o que eu disse: se o cara não é designer, não adianta. Tanto que eu nem fiz um tutorial sobre como fazer um logo, o texto é voltado pra quem é da área, mesmo. Tem que ter experiência, referências e tudo mais que um profissional tem. Não é preciso ser formado na melhor escola do mundo pra ser profissional, mas é preciso ser profissional pra fazer um bom trabalho e ser valorizado.

      Pretendo fazer um texto sobre “o meu sobrinho que faz isso no computador em meia hora”, tá faltando profissionalismo da parte dos próprios profissionais (os tios, no caso).

      Valeu!

      Responder
  • hahhahha…

    falo tudo…

    Responder
  • é bem akeles que aprendeu um monte de efeitos em tutoriais no youtube, e quer colocar tudo na mesma composição…

    um bom exemplo de que fazer isso nos dias de hoje é besteira seria por exemplo: as maiores marcas do mundo tem os logos mais simples do mundo… (ex.: nike, pepsi, adobe, google…).
    muitos deles tem simplesmente o nome escrito…

    … so um comentariozinho… parabens pelo site
    me ajudou muito…

    té mais.

    Responder
    • Fala, alan!

      Valeu aí, cara. Infelizmente eu ando sem tempo para novos artigos, mas espero lhe ser útil mais vezes futuramente. ;]

      Responder
  • =D

    Responder
  • parabéns pelo site,
    visitei vários artigos seus, todos muito utéis, muito bom seu trabalho,
    a questão dos “sobrinhos” é pra quebra com os profissionais mesmo,
    ps, achei algumas piadas perdidas,tipo a do “troxe cerveja”, muito legal,

    valeu

    Responder
    • Fala, Cristian!

      Que bom que gostou! Infelizmente não estou conseguindo atualizar o site ultimamente, mas um dia eu volto. ;]

      Valeu!

      Responder
  • Quer dizer então que os três dias que eu estudei “como fazer um logo” para a minha empresa em tutos na internet foram em vão e não vão me servir porque eu não sou formado em design? Boa vontade, imaginação e inspiração não contam no processo?

    Responder
    • Fala, Fabiano!

      Nunca pensei que um dia eu fosse dizer isso, mas sabe aquele didato “O inferno está cheio de boas intenções”? Então, é quase – QUASE – isso. Tutoriais te explicam como fazer, boa vontade é combustível, imaginação é necessário e inspiração é um aditivo. Mas e o conceito? E o “por quê”? E o “pra quem”?

      Hoje em dia com a internet a informação está aí e qualquer um é capaz de fazer qualquer coisa, mas isso não significa que qualquer um possa fazer algo que ele saiba o que está fazendo.

      Espero que não interprete de forma errada meu comentário, só estou dizendo que algumas coisas parecem fáceis quando você não tem a visão de um profissional da área. É como ir até uma exposição de pinturas sendo um leigo: São só enfeites!

      Boa sorte com a criação, mas eu recomendo um profissional! ;]

      Responder
  • Adorei as dicas! Tem sido meio difícil encontrar conteúdos explicativos e legais de ler. Já usei a dica de visualização de fontes. Parabéns!

    Responder
    • Fala, Sybylla!

      Que bom que gostou, isso só me motiva pra ter vergonha na cara e escrever mais coisas. ;]

      Responder
  • Oi,
    Adorei seu Blog, estava aqui procurando inspirações e informações para fazer o meu primeiro trabalho de logomarca, do meu extenso curso de Computação Gráfica… Quando me deparei com o seu Blog, achei muito interessante, jah salvei nos meus favoritos.
    Posso dizer que concordo completamente nas colocações, a gente rala fazendo o curso, são trabalhos em cima de trabalhos, conceitos e regras, para um “leigo” vir e pegar o seu lugar somente pelo falo de especular na internet.
    Viva aos designers…rsrsrsrsrs

    Até mais!!!!!!

    Responder
  • Muito Bacana esse artigo, ajudou muito por mais que vc disse que não é uma forma universal mais acredito que ficou bem claro o processo de criação, saber quem é a empresa e qual o seus concorrentes ja é mais que um otimo motivo para semear a criatividade.
    Poste mais Materias ai!!

    Responder
    • Fala, Paulo Henrique!

      Que bom que curtiu o post. Infelizmente o tempo não me deixa escrever mais, mas comentários assim me motivam a encontrar uma brecha nessa falta de tempo. ;]

      Valeu!

      Responder
  • Oi,
    Queria saber quanto vc cobra para fazer uma logomarca?
    Eu tenho um modelo que eu queria que peguei da internet e gostaria so de mudar o nome será que é muito caro fazer isso?

    Responder
    • Fala, Ana Laura!

      Entre em contato comigo através do canal de orçamento para conversarmos sobre o seu projeto. Faço um orçamento sem compromisso! ;]

      Responder
  • Muito bom! Gostei muito do seu trabalho, ótimo site. Acho na minha opinião a criatividade o ponto chave na criação de uma logomarca se vc tem o conhecimento e sabe o como fazer, mas nao tem aquela criatividade, fica dificil fazer um bom trabalho.

    Responder
    • Fala, Jonatas!

      Sim, criatividade é primordial, mas é necessário ter conceito. ;]

      Responder
  • Cara eu preciso urgente de uma logomarca, é que eu quero fazer um site de humor com o nome Love Memes me manda por e-mail qualquer resposta. Isso se você tiver um tempinho sem trabalho, Obs: até dia 05/01/12. Flw

    Responder
    • Olá Igor,

      Na verdade não se trata nem de um tempinho sem trabalho, mas também não sou tão workaholic assim para trabalhar no Natal e no Ano Novo!

      Brincadeiras à parte, conforme explicado no post, são muitas informações a serem levadas em consideração para a criação de um logo – o prazo de pouco mais de uma semana acaba sendo impraticável pela complexidade do trabalho.

      Qualquer coisa me dá um toque pelo formulário de orçamento do site! ;D

      Responder
  • Sou cruzinha no assunto, quero saber se existe algum programa especifico para criação de uma logomarca

    Responder
    • Juliana, como eu disse no post, esse “programa” se chama “profissional”. ;]

      Responder
  • Parabéns pelo assunto. É pertinente identificar sim todas as qualidades e virtudes de uma logo. To pensando nessas virtudes de qualidades para te mandar um email em breve. Quero algo simples objetivo e bom, como o seu trabalho..
    O “simples” vc me entendeu, né?! abçs.

    Responder
    • Simples é bom, mas a palavra em si não diz muita coisa se tratando de um briefing. Aguardo seu e-mail com mais detalhes!

      Responder
  • Apesar de ser novo nesse meio (na verdade sou um aprendiz), achei bem interessante esta postagem e da maneira que abordou o tema tanto no estilo e no ponto de vista comercial.

    Responder
  • preciso fazer um trabalho sobre logomarca logotipo slogan.o nome da empresa e supermercado ideal e nao sei como fazer.o slogan eu sei é ideal para sua familia. mais o logomarca e o logotipo é q esta dificil.obrigada.

    Responder
    • De nada! Espero que o post tenha ajudado! :D

      Responder
  • muito interessante.

    Responder
  • Cara!
    Artigo de qualidade héin!

    Parabéns.

    Responder
    • Muito obrigado, Andre! :D

      Responder
  • Amigo como faço para meu logo mesmo minúsculo ser legivel? Eu nao entendi muito.

    Responder
    • Rômulo, não entendi muito be sua dúvida!

      Responder

Deixe seu comentário

Se você deseja um orçamento, entre em contato clicando aqui.

Quero um orçamento