Serviço de consultoria para WordPress

WordPress é fantástico, mas gera algumas dores de cabeça. Conheça o serviço de consultoria para WordPress e consulte um especialista!

Por Fabio Lobo, atualizado em 20/11/2020. 2 pessoas falando sobre isso!

O WordPress já é pesado por natureza. Fato. E pode ter diversos problemas de desempenho, segurança e estabilidade. Tudo pode ser facilmente contornado através de uma consultoria para WordPress – independentemente se seu projeto já está no ar ou ainda nem saiu do papel.

Um site otimizado é, acima de tudo, um site bem feito – um site bem planejado. Principalmente quando elaborado por um especialista em WordPress.

E se você trabalha com criação de conteúdo ou é empresário, por exemplo, não deve ter muita experiência nesse assunto. Isso não é nada absurdo ou vergonhoso, afinal, você tem a sua especialização, sua área. Não deveria ter que se preocupar com códigos e outros assuntos técnicos.

Estou dizendo isso porque o texto a seguir vai ser um pouco mais técnico do que estou acostumado a escrever.

Minha intenção com esse post é:

  • Dar uma visão geral sobre como é feita uma consultoria para WordPress;
  • Explicar como é feita uma auditoria no WP;
  • Esclarecer qual é o papel de um consultor especialista em WordPress;
  • Descrever o que é feito depois do serviço de consultoria;
  • Mostrar casos de sucesso – ou seja, resultados de consultorias;
  • E tirar dúvidas comuns sobre o tema.

Então, vou contar um pouco – mas só um pouquinho – sobre meu trabalho na área.

ilustração de setas na diagonal indo para cima; à frente o texto Consultoria para WordPress

Como funciona uma consultoria para WordPress?

O que pode ser melhorado em meu site?

Você (provavelmente)

Um serviço de consultoria para WordPress consiste em, basicamente, responder essa pergunta.

Mas não é só bater o olho e escolher uma resposta pronta. Melhorar o WordPress exige dois pré-requisitos.

O primeiro é ter conhecimento que vai além do ecossistema desse CMS – ou seja, não basta ser um especialista WordPress. No geral, uma consultoria do tipo pode exigir do profissional experiência com:

  • Front-end (HTML, CSS, JavaScript, AMP, React…)
  • Back-end, ou programação (PHP, MySQL ou MariaDB…)
  • Web Design
  • Identidade visual
  • Hospedagem
  • Segurança e privacidade online
  • SEO técnico
  • Monetização
  • Marketing digital

Falo por experiência própria, é claro.

Sim, são muitas áreas envolvidas na criação, desenvolvimento e manutenção do WordPress. E isso só tende a aumentar com o tempo, já que a ferramenta está sempre em evolução.

O segundo pré-requisito para uma consultoria WordPress é uma análise minuciosa – uma auditoria.

Auditoria do WordPress

ilustração de pessoas procurando por bugs em um site

Um serviço de auditoria pode ter um ou mais objetivos específicos. Normalmente é dono do site tem um problema a ser resolvido ou melhorado, e será esse o foco da auditoria.

Quando presto serviço de consultoria para WordPress, geralmente os principais focos de uma auditoria são:

  • Desempenho
  • SEO
  • Segurança

Esses, inclusive, são pontos críticos que muitas vezes demandam mudanças radicais.

Sendo assim, trabalhar com gambiarras, remendos e serviços visando “melhorar só um pouquinho” ou “ver no que vai dar” não faz parte do meu processo.

A meta de uma consultoria é entregar a melhor solução dentro do que for possível e ser honesto quando não for possível implementar melhorias sem refazer (quase) tudo do zero.

Então, a auditoria é como um exame: serve pra entender o que está acontecendo e o que pode ser feito. Assim a consultoria nunca será com base em achismos, e depende do dono do site seguir ou não as recomendações.

Alguns exemplos de auditoria que fazem parte do meu serviço de consultoria para WordPress:

Tema WordPress: otimização e melhorias

Análise:

Código em geral do tema utilizado (css, html, javascript e funções PHP também). Semântica é importante, e muita coisa que parece simples (como slideshows ou contadores) podem consumir muito mais recursos do que parece.

Antes de mais nada, preciso ser sincero e usar o clichê: não dá pra fazer milagre.

Se você utiliza um tema pronto para WordPress, principalmente com algum page builder como WPBakery, Elementor, Divi e afins, automaticamente seu site já é bem mais pesado e lento do que o “normal”.

Isso porque esses templates vêm com um caminhão de ferramentas e funcionalidades. Os chamados “multi-purpose”, então… vish! É muita coisa carregando sem a menor necessidade.

Então, se sua ideia é continuar com um tema pronto e ainda assim ter um ótimo desempenho… sinto muito, mas não tem como.

Imagine esse cenário:

Você precisa de uma chave de fenda média, um alicate e um martelo para trabalhar. Acabou optando por uma mala com um kit completo de ferramentas porque estava com um preço bom e ter ferramenta a mais nunca é um problema.

Só que você só pode carregar essa mala com todas as ferramentas dentro. Se você tirar as que você tem certeza de que não vai usar, as demais ferramentas – fora outros itens como pregos, parafusos e brocas – não ficam bem encaixadas e caem a todo momento.

Então quando você abre a mala vai estar sempre uma bagunça. Por outro lado, se você carrega todas as ferramentas, obviamente sua mala fica muito pesada.

Um tema pronto para WordPress com page builder é exatamente assim: se você tirar uma coisa do lugar no código-fonte do projeto, as chances de outras coisas não funcionarem como deveriam são enormes.

E se você não tira nada, seu site ficará lento e pesado.

Lembre-se: tudo nessa área é investimento.

Você não está “gastando dinheiro” quando compra um template para o seu site ou contrata alguém para fazer melhorias. Tudo tem seu retorno, seja em forma de novos clientes que te encontrarem no Google ou cliques em banners de anunciantes.

Porém, a partir do momento que você quer só quebrar um galho, isso é jogar dinheiro fora.

Se o tema atual do cliente não pode ser otimizado, a recomendação normalmente é a troca ou reforma do template. É o que vai dar resultado.

Agora, se o tema for bem feito, ou pelo menos não exigir bibliotecas e mais bibliotecas, não tem por que criar um novo. Algumas modificações certamente serão o suficiente.

Hospedagem: segurança e velocidade

Análise:

É preciso avaliar os recursos do servidor (se há falhas como PHP desatualizado, Apache em vez de Nginx, medidas de segurança inexistentes etc.), além da viabilidade do plano contratado.

Trabalho nessa área há mais de 15 anos. Perdi a conta de quantas hospedagens utilizei (tanto para clientes quanto para projetos próprios).

Já vi de tudo e mais um pouco. Mas o que mais me impressiona é a sensação de comodidade que algumas empresas passam.

Na grande maioria das vezes que recomendo a troca de hospedagem, a hesitação por parte do cliente é enorme. Nem sempre pelo preço, mas pela zona de conforto, impressão de que está tudo certo.

pessoa varrendo a sujeira para debaixo do tapete (a sujeira inclui ilustrações de vírus, bug, erro 404 e hacker)
Varrer a sujeira para debaixo do tapete é especialidade de muitas hospedagens.

Uma coisa é certa: se você assina um plano barato em alguma das hospedagens mais conhecidas, seu site automaticamente já é mais lento do que outros.

Isso porque seu projeto está hospedado junto com milhares de outros em um servidor que já está no limite – o que justifica o preço.

E com tantos clientes assim no mesmo lugar, fora as dezenas de aplicações pesadas que nunca são 100% utilizadas (alô, cPanel!), a manutenção do servidor quase inexiste.

Afinal, manter tudo atualizado e seguro dá trabalho, e muitas vezes requer deixar o servidor offline por alguns segundos.

Isso significa deixar milhares de clientes fora do ar ao mesmo tempo, sem contar a mão de obra pra fazer o serviço (atualizar, testar, e dar suporte para os clientes que tiveram problemas com a atualização).

O modelo de negócio de hospedagens assim é, basicamente, criar uma zona de conforto pro cliente.

Para essas empresas é muito mais prático e lucrativo deixar tudo como está, cada vez mais defasado, porque assim não há reclamações e todo mundo – considerando que os clientes são leigos no assunto, já que esse é um tema muito técnico – fica feliz.

Com isso, até a mão de obra contratada não é tão especializada como deveria. Sempre que surge algum problema mais complexo, se você precisar de ajuda do suporte, ele não vai te orientar como deveria.

No mínimo algum retorno genérico; normalmente te forçam a contratação de um plano mais caro; no máximo alguma gambiarra será feita.

Não por acaso eu já tive que apagar diversos incêndios.

Uma hora chega a conta dessa zona de conforto e atendimento sem especialização. E isso pode custar seu site, sua posição no Google, suas vendas e por aí vai.

Então, pense bem. Não é porque seus amigos nunca tiveram problema com essa hospedagem ou porque o atendimento sempre foi bom pra você que está tudo certo com seu site.

A regra é clara: se o servidor é defasado, lotado de clientes e sem nenhuma preocupação por parte da empresa com estabilidade e segurança, pior para o seu site.

Plugins: praticidade e desempenho

Análise:

Se um único plugin pode deixar seu site pesado e lento, imagine vinte ou trinta? E não se trata apenas de quantidade – alguns plugins podem ser evitados com uma ou duas linhas de código.

Plugins são a grande sacada do WordPress pra deixar tudo muito prático e completo.

E como essa parte é aberta para a comunidade – qualquer pessoa pode fazer um plugin e publicar no repositório oficial do WordPress –, existe plugin grátis pra tudo.

Infelizmente algumas pessoas acabam perdendo a mão com isso. O que é extremamente normal.

Sair instalando plugins pra resolver X ou Y, deixar o site mais completo, ou até mesmo só testar, é algo comum. Principalmente quando você não entende nada de código ou não tem com quem falar para tirar dúvidas.

O problema é acabar acumulando plugins instalados sem necessidade – seja por “luxo” ou por esquecer de remover o que não está sendo utilizado.

Esse tipo de prática pode não só deixar seu site (bem) lento, mas com brechas de segurança. Inclusive, alguns plugins de segurança podem deixar seu site inseguro. Pois é.

Faz parte do meu trabalho analisar plugin a plugin e ver o que pode (ou deve) ser removido, substituído ou configurado da maneira correta.

Spoiler: plugins de estatísticas (contagem de visitantes, números de redes sociais e compartilhamentos, posts populares e afins) acumulam lixo no banco de dados e ainda impedem o funcionamento correto do cache.

Imagens, vídeos e afins

Análise:

Nesse caso a quantidade pode fazer toda a diferença. Principalmente se não houver um tratamento (para deixar as imagens mais leves, por exemplo) antes da publicação.

Tratar imagens, deixando-as mais leves, é bem mais fácil do que parece. E muito mais necessário do que você imagina.

Sempre bom deixar claro que você não precisa saber de tudo. Se você acha que a imagem deve ser leve porque abre rápido em seu computador, acredite, muita gente pensa assim.

Mas não tem nada a ver!

Às vezes, salvar a imagem da maneira corretafaz uma diferença gritante no tamanho do arquivo. E recortar ou redimensionar as imagens antes de publicá-las, então?!

imagem em AVIF
Comparação da imagem em JPG (351 kB) e AVIF (76.7 kB)

Felizmente há como automatizar isso tudo pra você não ter que se preocupar (tanto).

Além de analisar o que pode ser melhorado, oriento como tudo deve ser feito.

Por exemplo, hospedar vídeos e podcasts no seu próprio site é um erro, a não ser que você tenha um servidor dedicado só pra isso. Ferramentas como YouTube e SoundCloud, além de fazerem com que seu site consuma menos recursos, ajudam na divulgação.

Anúncios: monetização sem lentidão

Análise:

São os grandes vilões para quem quer um site leve e veloz.

Em absolutamente todos os trabalhos que fiz para sites e blogs de monetização de conteúdo, uma redução ou remoção dos anúncios deixaria o projeto com carregamento muito – mas MUITO – mais veloz.

Veja a imagem abaixo:

printscreen do google lighthouse

As notas não chegam a estar tão ruins, certo? Sim, é verdade.

Esse site utiliza um tema que fiz há alguns anos. Muita coisa mudou na análise de performance do Google, mas esse tema segue bem otimizado e é hospedado pela WOWF.

O site utiliza alguns sistemas de anúncios, como o AdSense. Em um teste, removi todos os anúncios. Olha o que aconteceu:

printscreen do google lighthouse

O TTI (Time to Interactive) caiu pela metade, a latência teve uma redução de cinco vezes e as notas de Performance, Acessibilidade e Boas Práticas subiram.

Em alguns casos, uma redução de anúncios é inviável para o cliente, já que essa é a fonte de renda do projeto. Remoção, então, nem se fala.

Mas há salvação! Também faz parte da consultoria para WordPress melhorar o desempenho do carregamento de scripts de terceiros. E a ideia é que você não deixe de ganhar nem um centavo a menos com as mudanças.

Pelo contrário, eu quero é que você tenha mais ganhos após meu serviço. Eu trabalho com resultados, afinal.

WEB STORY: 5 coisas que deixam o WordPress lento

Usabilidade e acessibilidade

Análise:

Muitas vezes ignorada, a usabilidade traz inúmeros benefícios para o seu projeto. Uma delas é a tão desejada queda na taxa de rejeição. Já acessibilidade pode fazer até mesmo que seu público aumente.

Um clique a menos pode ser o suficiente pra converter um visitante em um cliente ou leitor recorrente.

O “clique a menos” não tem relação direta com desempenho – por outro lado, seu visitante chegará mais rápido onde precisa.

Além disso, cada vez mais o Google considera usabilidade como fator de indexação. Um site com pouco contraste ou links muito grudados, por exemplo, pode “ficar pra trás”.

Cerca de 3,6% da população brasileira tem algum tipo de deficiência visual. Isso, hoje, são 7,5 milhões de pessoas. Será que elas conseguem navegar em seu site?

printscreen de tela de facilidade de uso em dispositivos móveis do search console
Exemplo do relatório de Facilidade de uso em dispositivos móveis do Google Search Console

Os menus do seu site estão bem organizados? São acessíveis em todos os tamanhos de tela e também através do teclado do computador?

Há problemas de CLS em suas páginas? Ou alguma outra falha, ou até mesmo dark pattern, que pode acabar induzindo o visitante a fazer o que não queria? Isso pode gerar cliques inválidos, por exemplo.

Existem algumas ferramentas que ajudam a testar um ponto ou outro de usabilidade e acessibilidade, mas nada se compara a testes manuais com pessoas.

Segurança: da proteção à remoção de vírus

Análise:

Se seu tema tem brechas de segurança ou sua hospedagem é ineficiente, seu site poderá sofrer tentativas de ataques constantes. Isso, além do óbvio, pode sobrecarregá-lo e deixá-lo fora do ar.

O Google também considera segurança como fator de indexação.

Afinal, se seu site oferece algum risco para o visitante (como phishing, trojan, vírus e até mesmo spam), ele irá perder posições – ou ser removido das buscas.

Além disso, o contrário também pode afetar seu desempenho. Caso seu site esteja recebendo tentativas de ataques, ele poderá ficar mais lento – cada ataque é como se alguém estivesse acessando e utilizando seu site.

Ou pior, dependendo do tipo de ataque e sua proporção.

printscreen de mensagens de site inseguro
Alguns exemplos de mensagens que indicam que seu site está com problemas de segurança

Cache, cloudflare e algumas medidas de segurança ajudam, mas podem não ser o suficiente caso você esteja tendo problemas recorrentes, por exemplo.

É preciso analisar o problema (a origem, a causa e o que está acontecendo) e até mesmo entender a rotina de quem tem acesso ao site, já que são inúmeros os fatores que podem levar a uma brecha de segurança no WordPress.

Também trabalho com medidas de segurança. O WordPress é muito visado, então isso não poderia deixar de fazer parte dos meus serviços.

Consultoria e planejamento do WordPress: site “do zero”

Análise:

Se o site ainda nem saiu do papel, é importante ter um planejamento de identidade visual, conteúdo, recursos, ferramentas, hospedagens e por aí vai. Isso evita imprevistos e contribui para o sucesso do site.

Fazer o planejamento de um site é uma tarefa chata, e a maior prova disso é que pouca gente coloca um site no ar depois de planejá-lo.

Não é nem preguiça: a falta de conhecimento acaba fazendo com que as pessoas pulem etapas importantes. Isso é normal – e, como já disse, você não precisa saber de tudo.

Já recebi briefings com ideias mirabolantes que pareciam ser muito boas, mas na prática não trariam resultado algum. Ou seja, seria só um gasto a mais para o projeto.

E como eu sei disso? Bom, durante esses anos trabalhando na área já fiz inúmeros testes, estudos e análises.

Como trabalho com resultado, é meu papel orientar que não é o bastante ter um site bonito e cheio de ferramentas: é preciso entender o público e o contexto pra saber o que realmente vai funcionar.

E também é preciso saber o que vai caber no bolso ou não, e quais são as alternativas.

Acredite, um bom planejamento pode gerar uma grande economia em um projeto com WordPress.

Qual é o papel do consultor especialista WordPress?

Como você pode ver acima, a consultoria requer conhecimento que vai além do WordPress e uma auditoria completa do projeto.

Mas, afinal, qual é o trabalho a ser feito?

Bom, uma consultoria nada mais é que pedir um conselho, diagnóstico ou opinião para um especialista. Então, depois de toda essa análise, o consultor WordPress irá te enviar uma lista com o que deve ser feito.

Quer dizer que você vai pagar pra um cara falar o que você deve fazer? Sim.

É um absurdo? Não, longe disso. É o mesmo que ter uma consulta em um médico: ele vai fazer umas perguntas, pedir alguns exames e, no final, vai passar orientações e remédios.

mesa de um médico com um estetoscópio; à frente, gráficos indicando desempenho
Dr. WordPress, eu?! Não, mas é quase isso.

Boa parte das consultorias que prestei resultaram em orientações para conteúdo. Ou seja, o próprio cliente faria o trabalho para ter a melhoria desejada. Mas ele só ficou sabendo disso com auxilio profissional, é claro.

Em outros casos há serviços adicionais que devem ser feitos, como ajustes no tema, migração de hospedagem ou troca de plugins, por exemplo. Isso não faz parte de uma consultoria, mas sim de suporte e manutenção.

Assim um novo orçamento é feito para a realização dos serviços, e aí cabe ao cliente aprovar ou não a proposta.

O que vem depois da consultoria para WordPress?

Como dito no tópico anterior, depois de uma análise completa – não só do site, mas das necessidades do cliente – eu apresento uma proposta explicando o que deve ser feito no trabalho.

Ou seja, antes do início do trabalho em si eu já detalho o que poderá e o que não poderá ser melhorado.

Por exemplo, se o objetivo do trabalho é otimização mas um slideshow não puder ser removido de uma página, isso significa que ela ainda precisará de jQuery e outros recursos – então não haverá muita melhora de desempenho.

Já se o slider puder ser substituído por imagens estáticas, aí sim haverá uma melhoria significativa.

Então, além de avaliar o que pode ser melhorado, em minha consultoria sempre sugiro alterações para que o serviço seja completo.

Execução do trabalho recomendado na consultoria

ilustração de um site sendo construído

Como você já deve ter percebido, meu serviço não para só na consulta. Também faço o trabalho necessário que é recomendado.

Na hora de colocar a mão na massa, normalmente a ordem é essa (podendo ter passos a menos dependendo do serviço a ser prestado):

  1. Migração de hospedagem: Se for o caso, o primeiro passo é transferir o projeto para uma hospedagem profissional. O processo pode levar de alguns minutos a algumas horas, dependendo da facilidade que a hospedagem atual proporciona.
  2. Redução de arquivos: Basicamente redimensionamento e compressão de imagens, minificação de código e configuração de cache.
  3. Alterações necessárias: Essa parte costuma ser a mais complexa (principalmente se a reforma do tema estiver em pauta), logo demorada. Envolve códigos, plugins, mudanças estruturais de layout e por aí vai.
  4. Melhorias e refinamentos: Questões diversas como dados estruturados, compartilhamento em redes sociais, fontes, formulários e outros itens mais voltados a usabilidade e acessibilidade.
  5. Recomendações e orientações: Nenhuma otimização é permanente. É preciso garantir a continuidade dos procedimentos necessários para que o projeto continue otimizado. Então, oriento e tiro todas as dúvidas.

Cada etapa é testada e validada para acompanhar a melhoria do desempenho e garantir que tudo esteja funcionando como deveria.

Se for preciso uma reforma no template, é criado um ambiente de desenvolvimento para que o “novo tema” seja testado pelo cliente antes da publicação no endereço final.

Relatório de melhorias

Os próprios relatórios do Google Lighthouse e Google Search Console são utilizados tanto na hora de elaboração do orçamento quanto no acompanhamento e, enfim, na conclusão do trabalho.

Alguns clientes também optam pelo SEMrush quando o trabalho é mais voltado para otimização para buscadores.

Acompanhamento e manutenção

Como dito acima, nenhuma otimização é permanente. Se sair alguma atualização com mudanças significativas, ou o cliente não seguir as recomendações, em pouco tempo as melhorias estarão comprometidas.

Nessa área as coisas mudam em um piscar de olhos. O Google vive mudando suas diretrizes.

Ofereço um serviço de acompanhamento mensal, ou também posso fazer uma análise a cada seis meses, por exemplo.

Mas não se assuste: você não vai precisar investir em mudanças bruscas duas vezes por ano. Dificilmente as atualizações causam muito impacto, e a utilização de alguns plugins (como o Yoast SEO) ajuda a automatizar algumas mudanças.

Só é recomendável ficar de olho nas novidades. Caso contrário, seus concorrentes sempre estarão em vantagem.

Casos de sucesso de consultoria para WordPress

Depois de todo esse papo técnico, vamos ao que realmente importa: números, resultados.

Separei alguns trabalhos com diferentes focos pra ilustrar tudo isso que eu disse acima.

Reforma de site

dinheirama

O Dinheirama precisava passar por algumas mudanças. O foco era otimizar o tema atual, mas a ideia evoluiu e uma série de melhorias foi planejada.

Não trabalhei diretamente nas mudanças visuais – nesse caso, passei orientações de o que e como poderia ser melhorado, e acompanhei a criação como se o site fosse pra mim.

Provavelmente os designers estão tendo pesadelos comigo até hoje.

Hospedado na PortoFácil, migração de host nunca foi sequer cogitada porque isso não representaria melhoria alguma.

O código foi totalmente refeito, alguns plugins foram removidos, outros substituídos e muitos scripts sofreram uma otimização gritante.

O resultado?

Antes, o site tinha esses números no Lighthouse:

printscreen do google lighthouse

Depois de minhas orientações e serviços ficou assim:

printscreen do google lighthouse

Refactor de tema pronto

macroplan

O Macroplan foi um caso bastante parecido com o Dinheirama.

Eles utilizavam um tema pronto, o Choros, com WPBakery Page Builder e Slider Revolution. Minha análise inicial dessa consultoria para WordPress foi:

  • O template era muito pesado. O console do navegador indicava 162 requisições de quase 15MB ao todo. Pra servir de comparação, meu site tem 27 requisições com menos de 500KB.
  • As imagens precisavam de uma compressão daquelas. Um dos banners pesava 2MB. Fiz um teste com uma ferramenta de compressão e a mesma imagem ficou com menos de 400KB.
  • A hospedagem era uma daquelas que pratica overselling. Então, o site já era lento mesmo que fosse uma página em branco com texto em Times New Roman.
  • O WordPress e os plugins estavam desatualizados.

Sabe o que faltou, nesse caso? Um profissional.

A culpa do site estar ruim, pesado, com coisas desatualizadas, nunca é do cliente. Afinal, como é que ele vai saber como criar uma imagem leve, como (e por que) deixar tudo atualizado sempre?

É papel do desenvolvedor, especialista WordPress ou não, orientar sobre as melhores práticas que o cliente deverá seguir para atualizar o próprio site. Então, o site só ficou desse jeito porque quem o desenvolveu não ligou para o básico.

Meu trabalho aqui foi em duas etapas. O mais urgente era deixar o site com um carregamento aceitável, já que ele estava levando quase 10 segundos só pra abrir.

Então, sugeri a migração de hospedagem para a WOWF, remoção de alguns scripts e plugins e fiz uma minificação do código e das imagens.

Ainda assim, ficou longe de ser um site otimizado. Olha isso:

printscreen do google lighthouse

Como você pode ver, o clichê “não dá pra fazer milagre” é real. Se o site utiliza um tema pronto, ainda por cima com page builder (sem contar o Slider Revolution), ele é pesado e a única solução é refazê-lo.

Então, a segunda etapa foi refazer todo o tema, mas mantendo o mesmo visual (com algumas melhorias).

Sendo assim, o Choros foi completamente descartado: painel, page builder, slider, tudo foi removido e refeito de maneira leve e precisa.

O resultado é esse aqui:

printscreen do google lighthouse

O slideshow impediu que o resultado de boas práticas da home fosse ainda melhor (jQuery, claro).

Migração de hospedagem

projeto: foco no enem

Já citei esse projeto nesse texto mesmo, na parte sobre anúncios. Hora de mais detalhes!

Esse foi um caso mais simples. Como disse mais acima, eu já havia desenvolvido o tema para o Foco no Enem, mas a hospedagem proporcionava um carregamento lento (e suporte quase inexistente).

Ou seja, o desempenho já era bom. Só restava trocar de hospedagem. Como o site trabalha com Google AdSense, que naturalmente já deixa as páginas mais lentas e pesadas, cada milissegundo de carregamento conta.

Entre minhas sugestões de hospedagem de sites, o cliente optou pela WOWF.

Os números eram esses:

printscreen do google lighthouse

Depois de migrado, ficou assim:

printscreen do google lighthouse

Mudança quase imperceptível nos gráficos, mas significante no carregamento.

E como você já pode ver no tópico de auditoria de anúncios, o resultado seria esse se não fosse pelo AdSense:

printscreen do google lighthouse

Também por conta de um plugin que utiliza jQuery, a parte de boas práticas não ficou tão boa quanto deveria.

Mas como você pode ver, anúncios são realmente grandes vilões para quem quer um site mais rápido.

Créditos das imagens: Freepik, Squoosh, Google e sites citados.

Revisão

E aí, entendeu bem como funciona uma consultoria para WordPress? Tire suas dúvidas:

O que é consultoria?

Consultoria, atividade do consultor, é um serviço de diagnóstico, auditoria de um projeto visando uma ou mais melhorias. O consultor faz uma análise completa de acordo com as necessidades do cliente, e então formula quais devem ser os próximos passos para alcançar o objetivo desejado.

O que é auditoria?

Auditoria é um exame minucioso de um projeto. Seu objetivo é avaliar a saúde desse projeto: por exemplo, se os elementos que compõe o projeto estão seguindo boas práticas ou não, o que pode estar causando problemas ou o que poderá ser um problema no futuro, o que pode ser melhorado etc.

Como melhorar o WordPress?

Para melhorar o WordPress é preciso seguir uma série de recomendações como utilizar um tema e plugins bem feitos e na medida para o projeto; hospedar em um host próprio para WordPress; otimizar recursos internos e externos da melhor maneira possível; seguir boas práticas de usabilidade e acessibilidade; e tomar diversas medidas de segurança. Para tanto é recomendável uma consultoria e auxílio de um especialista em WordPress.

Quanto custa uma consultoria para WordPress?

Não há um preço fixo para o serviço de consultoria para WordPress, já que depende do porte do projeto e de o que deverá ser analisado. Também não há uma estimativa de preço para o serviço a ser realizado depois da consultoria, já que pode variar bastante. Se tiver interesse em uma consultoria para seu projeto, entre em contato.

A cópia dos conteúdos e trabalhos deste site não é permitida. Saiba mais clicando aqui!

Quem é Fabio Lobo?

Web designer, desenvolvedor front-end e programador WordPress.

Quem é Fabio Lobo?

Estou há mais de uma década na área. O foco do meu trabalho é em usabilidade, facilidade pro usuário, acessibilidade, SEO e performance.

Também tenho alguns projetos open source, além de prestar consultoria em hospedagem WordPress e criação de conteúdo.

Como posso te ajudar hoje?

Trabalho com consultoria, suporte, manutenção, criação e desenvolvimento.

Fale comigo

Leia também...

...alguns textos que têm a ver com o assunto:

Como desenvolvo temas para WordPress

Há diversas formas de se trabalhar com WordPress. Conheça minha metodologia de trabalho de criação e desenvolvimento com essa plataforma.

Como melhorar o SEO de seu site visando subir nas buscas

Quer saber como otimizar ainda mais seu site? Saiba como é feito um trabalho de SEO e siga os passos para ter um site melhor indexado.

Search Console: como instalar, usar e melhorar seu site

Quer melhorar o SEO do seu site e deixá-lo livre de erros? Saiba como instalar e usar o Google Search Console, ferramenta gratuita com relatórios para otimização.

Comentários

2 comentários até o momento

  • Nao adianta mesmo fazer tudo certinho mas assinar uma hospedagem baratinha. Descobri da pior forma possivel.

    Meu site ficava mais fora do ar do que outra coisa. O suporte do host dizia que era problema de memoria, mas nao ajudava a resolver, nao dizia o que pudia ser feito, nada… so tentava me empurrar um upgrade da conta.

    No final das contas eu perdi quase todas as posicoes no google por causa de erros 4XX e 5xx no google search console ja que o site vivia fora do ar…

    Responder
    • Que horror, Agatha! Já vi casos assim, mas sempre fico surpreso com a capacidade das grandes empresas de hospedagem visar o lucro sem dar a mínima pro sucesso do cliente como se uma coisa não dependesse da outra.

      Se eu puder ajudar em algo me avise ;\

      Responder

Deixe seu comentário

Se você deseja um orçamento, entre em contato clicando aqui.

Quero um orçamento